Arquivo da tag: Tecnologia

Extensões para Joomla – como escolher as suas para criar sites e portais

O poder do Joomla pode ser ampliado com a instalação de extensões. Há uma quantidade impressionante de extensões pagas e gratuitas. Elas podem ser pesquisadas no site do Joomla (http://extensions.joomla.org/) . Lá o usuário pode escolher as extensões conforme as necessidades e os objetivos do site.

A escolha deve ser feita com alguns critérios e cuidados, assim como tratado no post sobre os plugins do WordPress. A questão da compatibilidade entre as extensões e as versões do Joomla requer um pouco mais de cuidados que no caso do WordPress. Muitas extensões populares, por exemplo, não são ainda compatíveis com a última versão do Joomla.

O site de extensões do Joomla é bastante amigável, com análises (reviews), notas (ratings) e comentários. Ao escolher uma extensão é importante verificar entre outras coisas:

a) tipo de licença;

b) compatibilidade;

c) quantidades de downloads(popularidade) e data de atualização;

d) análises e notas atribuídas por usuários;

e) possíveis exigências de sistema (mais comumente da versão do PHP).

O usuário pode facilitar as pesquisas por extensões em menus que indicam as mais avaliadas com notas (Most rated), as de melhores avaliações (Top rated), as escolhas dos editores (Editor’s pick), mais populares ( Popular Extensions), mais analisadas e comentadas pelos usuários (Most reviewed), mais marcadas como favoritas (most favoured).

As extensões podem ser pesquisadas de acordo com categorias relacionadas as suas finalidades.

Realizar um backup do site é importante para possível recuperação em caso de problemas. Uma das extensões populares é a extensão que realiza backups: Akeeba Backup.

Outra extensão popular é um editor para os artigos: JCE.

As extensões contribuem para que o Joomla possa ser empregado tanto para sites pessoais, blogs, bem como para portais com finalidades diversas. A quantidade de extensões gratuitas impressiona.

Testando o seu site – algumas dicas

Ao colocar um site online, o responsável pelo mesmo deve fazer teste com certa frequência, principalmente se o site for empregado para fins profissionais e tiver boa visitação.

Há diferentes formas de tese. Vejamos algumas dicas simples:

a) usabilidade – verifique com amigos e conhecidos se eles conseguem encontrar conteúdos no site, entender a navegação, usar ferramentas interativas ou de comunicação, por exemplo. Há muitas formas, mais e menos complexas, de verificar a usabilidade do site.

b) teste com diferentes resoluções de vídeos – o site deve ter boa visibilidade ao ser visitado por usuários com monitores de diferentes resoluções.  Algumas ferramentas de estatística de acesso, indicam as resoluções mais empregadas pelos visitantes do site. Deve-se evitar que o visitante precise rolar lateralmente. Logicamente, você não conseguirá agradar a todos os computadores. A resolução e o tamanho da tela não são a mesma coisa. Um netbook hoje usa resolução (lateral) maior a muitos monitores de 14 polegadas antigos.

Alguns exemplos de resolução: 800 x 600; 1024 x 800; 1280 x 800

c) teste em diferentes computadores – usar sistemas, navegadores e computadores diferentes pode ser útil para verificar possíveis problemas em sites, especialmente de design. Por exemplo, uma configuração diferente de navegador pode influenciar a navegação. Assim, sempre que possível visite seu site de computadores diferentes. Pedir que colegas avisem de problemas é uma dica bem simples. Você não precisa ter vários computadores, mas tentar que você, algum parente, amigo ou conhecido visite o site e relate possíveis problemas ou dificuldades.

d) teste em diferentes navegadores – o site deve ser testado em diferentes navegadores. Neste caso, a recomendação é priorizar os navegadores mais empregados. Atualmente eles são Internet Explorer, Firefox, Chrome e Opera. Logicamente, nem todos os visitantes usam a mesma versão do navegador, o que pode conduzir a problemas de compatibilidade com tecnologias mais recentes.

Depois retorno ao assunto.

O frenético mundo dos tablets e dos smartphones

É fácil constatar uma corrida por lançamentos de modelos de tablets e smartphones. O fim do ano parece ter acelerado este andamento e deixado a questão ainda mais confusa e frenética. No campo dos smartphones, a questão está mais complexa ainda. Vejamos alguns exemplos. A Samsung lançou no esta semana no Brasil o Galaxy Note, uma mistura entre tablet e smartphone, como muitos sites apontam. Coincidência ou não, o preço do Galaxy SII já sofreu redução em algumas lojas virtuais de expressão. Esta redução foi ainda maior horas (ou seriam minutos) depois da TIM e OI informarem preços para o iPhone 4S. Além disso, a Apple indica que pretende vender o seu celular desbloqueado.  Há ainda uma versão mais simples de 8Gb do iPhone que também começará a ser comercializado em breve.

Certamente estes anúncios de preços do iPhone, com vendas anunciadas para próximo dia 16, farão que o mercado de smartphones entre em promoções e oscilações de preços e condições.

Duas lojas famosas já comercializam o Optimus Black por R$999,00. O preço, em muitas lojas, está em torno de R$1399,00. É provável que o aparelho tenha o seu preço reduzido para a faixa de R$1000,00, já que modelos como o Optimus 2x e o Optimus 3D já podem ser encontrados com preços reduzidos.  Os smartphone Android de núcleo único deverão ter seus preços pressionados pelos lançamentos e preços dos aparelhos dual core.

Vejamos um exemplo de quada de preços de Tablet. O Zoom teve hoje uma grande redução de preço em, pelo menos, uma loja virtual, chegando a ser comercializado por menos de R$1400,00, na versão com wi-fi e 3G. Curiosamente o aparelho está difícil de ser encontrado em lojas de operadoras de telefonia. Logo, é possível imaginar que o lançamento do Xoom 2 esteja mais próximo do que o imaginado. Talvez a redução intensa e o desaparecimento em muitas loja sejam sinais de queima de estoque.

O Galaxy Tab também começa a ficar mais visível em lojas. Seria uma estratégia para aproveitar o “sumiço” do Zoom ou uma consequência de modelos menores da Samsung e de outros modelos, inclusive da Positivo.

Em síntese, o mercado está de grandes emoções e de risco, já que o preço pode ser rapidamente alterado. Imagine comprar um tablet ou um smartphone de manhã e ver o preço do mesmo reduzido R$200,00 ou mais na tarde do mesmo dia.

 

 

Convergência digital: smartphones, tablets, gps, TV digital – tudo em um

A convergência digital é um fenômeno cada vez mais intenso. Em breve, será difícil diferenciar smartphones, tablets, gps, TV digital, entre outros dispositivos.

Um tablet de marca famosa tem tela de 5 polegadas e sistema Android, um tamanho pouco maior que alguns smartphones top de linha. Alguns celulares tem sistema Android e tela de 4 polegadas, com GPS. Há GPS com TV digital. Recentemente vi um modelo de GPS com Android e internet wi-fi. Muitos smartphones tem GPS, wi-fi, e 3G. Outros smartphones tem TV digital.

Ou seja, a quantidade de funções dos aparelhos é cada vez maior. Expressões como MP3, MP4 e MP5 já foram famosas para falar de aparelhos com várias funções. Qual seria o número hoje. Os smartphones estão se tornando micro-microcomputadores de mão (ou seria de dedos).  as funcionalidades até dificultam a escolha. Afinal, a importância de cada função depende do usuário.

É insteressante imaginar as possibilidades para os próximos anos. Um mesmo aparelho servirá de GPS, conectará a internet, fará chamadas de voz e vídeo, será um material didático, uma máquina fotográfica de altíssima qualidade, uma filmadora full hd… A pressa por lançamentos pode dificultar o estabelecimento de um padrão, dificultando as escolhas, as comparações e, consequentemente, a análise de custo-benifício.

O Natal dos Tablets?

O Natal se aproxima e já é possivel fazer um questionamento: será este o Natal dos tablets? É comum que na época do Natal o desejo de por algum tipo de dispositivo eletrônico fique bastante evidente. Já tivemos natal de celulares, natal das tv lcd… Estes objetos de desejos são destacados em reportagens que tratam do consumo neste período do ano. Eles também são alvos de promoções e propagandas de marketing digital.

Certamente dois dispositivos serão muito desejados neste próximo natal: os smartphones e os tablets. Se os preços dos primeiros já tiveram uma significativa redução, com os tablets a redução ainda é pequena. Smartphones já podem ser comprados por aproximadamente R$ 300,00, nos modelos mais simples. No entanto, um tablet original de marca ainda está bem acima disso. Dificilmente um tablet 3G é encontrado por menos de R$ 1000,00.

Os tablets wi-fi podem ser bem menos interessantes, já que ainda não é tão simples encontrar conexões wi-fi gratuitas. O uso dos tablets wi-fi em casa reduzem as suas possibilidades.

As notícias e os boatos de novos modelos podem também dificultar a venda dos atuais sem promoções mais agressivas. O consumidor pode preferir esperar mais alguns meses por um modelo mais atualizado, principalmente se o seu uso não for para fins profissionais.

Letramento tecnológico, letramento digital e outros letramentos

Letramento tecnológico é um termo empregado muitas vezes para se referir à capacidade de compreensão e uso de tecnologias. É importante mencionar que o termo letramento tem sido usado em outras expressões tais como letramento científico, letramento digital. Em algumas publicações expressões equivalente são empregadas com a palavra alfabetização: alfabetização digital, alfabetização tecnológica, alfabetização científica…

Computação nas nuvens – cloud computing – um conceito e uma tendência em fortalecimento

O termo computação nas nuvens , do inglês cloud computing, tem sido crescentemente empregado, certamente gerando curiosidade e dúvidas. A nuvem, na verdade, é uma metáfora para indicar que os arquivos e sistemas podem ser visto e acessados de diferentes formas e em certa oposição ao uso de um computador específico.  Assim, os arquivo e programas podem ficar disponível “o tempo todo” (desde que haja acesso a internet), sem necessidade de uma mídia física ou de um computador específico.

Os usos mais comuns para o termo computação nas nuvens são:

a) Hospedagem de sites – com características mais flexíveis de espaço, disponibilidade e poder de armazenamento e processamento. Muitos provedores de hospedagem hoje oferecem planos chamados de cloud computing. Em geral, o cliente escolhe uma configuração de processador, memória RAM e espaço em disco. Conforme as necessidades, ele pode ampliar  o poder do plano para atender à demanda do site ou do sistema hospedado. É uma hospedagem mais cara que a compartilhada, porém mais barata que o servidor dedicado.

b) Arquivos e backups online – Neste caso, o usuário pode salvar arquivos online, empregando a nuvem computacional como área de backup ou para uso direto do computador. Os arquivo não dependeriam de pen drives, disco rígido ou outra mídia. Eles fica(ria)m online o tempo todo. Sem dúvidas, uma possibilidade bastante interessante, mas que pode apresentar riscos.

Particularmente considero sempre bom ter os arquivos em mídias físicas como pen drives e discos rígidos.

Muita atenção ao uso deste tipo de sistema e aos termos de uso dos provedores deste tipo de serviço! Também é preciso muito cuidado em relação à segurança. Além disso, podemos precisar do arquivo quando não estamos com internet disponível ou quando ela está problemática.

c) softwares online – neste caso podemos usar vários tipos de softwares diretamente na internet. O computador vira um dispositivo de acesso ao software que se encontra online.

Espero ter ajudado um pouco!

Depois retornarei a este assunto.