Arquivo da tag: pós-graduação

Mestrado em Letras e Ciências Humanas: processo seletivo

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo para o Mestrado em Letras e Ciências Humanas na UNIGRANRIO.

Área De Concentração: Discurso, Cultura e Formação Humana

Linhas de Pesquisa:

  • Gênero, Etnia e Identidade
  • Educação, Linguagem e Cultura
  • Representaçaõ da Historicidade, Memória e Discurso

Informações detalhadas podem ser encontradas no site do Programa:

www.unigranrio.br/pos_letras-ciencias-humanas/

Especialização em Língua Portuguesa na UNIGRANRIO

Estão abertas inscrições para o curso de especialização em Língua Portuguesa na UNIGRANRIO.

O curso está sendo oferecido para o Campus Duque de Caxias e para a unidade de Nova Iguaçu.

Informações detalhadas: https://sga.unigranrio.edu.br/sga/Principal?alias=cursos_pos_insc_abertas

A UNIGRANRIO oferece mais de 50 cursos de especialização, em diversas áreas de conhecimento.

Pós-Graduação no Rio de Janeiro – UNIGRANRIO

A UNIGRANRIO, universidade com 40 anos de história,  está com inscrições abertas para cursos de pós-graduação lato sensu em diversos campi e unidades no Estado do Rio de Janeiro.

Informações podem ser obtidas no seguinte endereço: https://sga.unigranrio.edu.br/sga/Principal?alias=cursos_pos_insc_abertas

Há diversas opções de cursos, em diferentes áreas, no Rio de Janeiro, em Caxias e em Nova Iguaçu.

Na área de Educação, alguns dos cursos com inscrições já abertas são:

Língua Portuguesa

Literatura Infantil e Juvenil: Leitura e Ensino

Ensino da Matemática

Historia Social da Baixada Fluminense

Nos próximos dias, mais cursos deverão estar com inscrições abertas.

Metodologia de pesquisa – sugestão de livros

Com o fortalecimento e a expansão do ensino superior e da pós-graduação, a prática de pesquisas acadêmicas tem se tornado cada vez mais necessária. No entanto, é fácil perceber as dificuldades do pesquisador iniciante em vários aspectos: planejamento da pesquisa, delimitação de objetivos, escolha da metodologia para a coleta de dados, formas de referenciação, formatação dos trabalhos…  As dificuldades e as dúvidas são maiores quando se trata de pesquisa aplicada, que requer coleta de dados. Algumas discussões no Ensino Atual já abordaram esta temática. Sem dúvida, uma grande dificuldade é a identificação da metodologia necessária e a compreensão da viabilidade ou não da pesquisa.

Apresento algumas sugestões de livros sobre metodologia de pesquisa, também chamada de metodologia científica: 

APPOLINÁRIO, F. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2004.

BARROS, A. J. S. e LEHFELD, N. A. S. Fundamentos de Metodologia: Um Guia para a Iniciação Científica. 2 Ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 7 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2005.

DEMO, P. Pesquisa: princípio científico e educativo. São Paulo: Cortez, 2000.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LÜDKE, M ; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 6ª Reimpressão. São Paulo: EPU, 2001.

MAGALHÃES, G. Introdução à metodologia da pesquisa: caminhos da ciência e tecnologia. São Paulo: Ática, 2005.

MARCONI, M. A. & LAKATOS, E. M. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2000.

MEKSENAS, P. Pesquisa social e ação pedagógica: conceitos, métodos e práticas. São Paulo: Loyola, 2002.

MICHEL, M. H. Metodologia e Pesquisa Científica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 2005.

NUNAN, D. Research methods in language learning. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Editora Vozes, 2007.

RAMPAZZO, L. Metodologia científica: para alunos dos cursos de graduação e pós-graduação. São Paulo: Loyola, 2002.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3ª  Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2007.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 36 Ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

SELIGER, H.  W ; SHOHAMY, E.  Second Language Research Methods. Oxford: Oxford University Press, 2001.

Pós-Graduação em Nova Iguaçu – inscrições abertas

A UNIGRANRIO está com inscrições abertas para diferentes cursos de Especialização em Nova Iguaçu.

Informações sobre os cursos podem ser obtidas no site da universidade – www.unigranrio.br.

No campo de Letras, as opções são:

Especilização em Língua Inglesa

Especialização em Língua Portuguesa

Especialização em Literatura Infantil e Juvenil

Há ainda diversas opções nas áreas de Educação, Gestão, entre outras.

Pesquisa teórica – características e objetivos

O que é uma pesquisa teórica? Quais as características de uma pesquisa teórica?  Quais os objetivos de uma pesquisa teórica?

Apresento abaixo fragmentos de um artigo de minha autoria, no qual discuto aspectos básicos sobre a prática de pesquisa, com foco em Letras e Educação.

Sem dúvidas, muitos estudantes encontram dificuldades para planejar uma pesquisa, especialmento na definição de objetivos e metodologias de pesquisas aplicadas.

Em posts futuros, abordarei a pesquisa aplicada.

 Em termos gerais, são consideradas pesquisas teóricas aquelas que têm por finalidade o conhecer ou aprofundar conhecimentos e discussões (BARROS e LEHFELD, 2000, p. 78). Em síntese, é possível afirmar que a pesquisa teórica não requer coleta de dados e pesquisa de campo. Ela busca, em geral, compreender ou proporcionar um espaço para discussão de um tema ou uma questão intrigante da realidade (TACHIZAWA e MENDES, 2006). No campo das Letras, é a forma predominante de pesquisa em Literaturas. Isto não significa, entretanto, que não haja pesquisa aplicada em Literatura e que outras áreas de Letras, como Língua Portuguesa ou Linguística só sejam pesquisadas de forma aplicada. Não devemos entender determinismos nestes exemplos.  Em Educação, a pesquisa teórica visa, entre outras possibilidades, ao aprofundamento de estudo de conceitos, biografias de educadores, discussões de visões de ensino-aprendizagem.

(…)

A pesquisa teórica também é mencionada na literatura com outras denominações: pesquisa pura (MEDEIROS, 2000, p. 33; APPOLINÁRIO, 2004, p.151), básica e fundamental (APPOLINÁRIO, 2004:151).

A forma básica de pesquisa teórica é a bibliográfica. A pesquisa bibliográfica é, sem dúvida, a forma de pesquisa mais realizada em escolas e universidades.  Os objetivos mais comuns são compreender e discutir a revisão da literatura[2] sobre o tema de pesquisa (TACHIZAWA e MENDES, 2006). Isto ocorre basicamente por consulta e estudo de livros, artigos, trabalhos monográficos, jornais e enciclopédias. O estudante tem contato com este tipo de pesquisa desde os primeiros anos escolares (DEMO, 2000).


VILAÇA, M. L. C.  Pesquisa e Ensino: Considerações e Reflexões Revista E-scrita. Volume 1. Número 2. Maio-Agosto de 2010. 

LEIA O ARTIGO – DISPONÍVEL PARA LEITURA

[2] Fundamentação teórica, base bibliográfica, arcabouço teórico, e pressupostos teóricos são outras denominações freqüentes.

Língua Inglesa: especialização na UNIGRANRIO

bookcase_64x64Especialização em Língua Inglesa na UNIGRANRIO (Duque de Caxias).

O curso enfoca no desenvolvimento linguistico do aluno e na preparação deste para estudos linguisticos teóricos ou aplicados. Algumas das disciplinas do curso são: Applied Linguistics, English for Specific Purposes, Grammar Studies, English Language Teaching  e Translation Studies.

Informações – Pós-Graduação da UNIGRANRIOwww.unigranrio.br ou pelo telefone (21) 2672-7790.

Monografia: Citação indireta por terceiros – Apud

Muitos estudantes desconhecem ou se confundem no uso do apud na redação de trabalhos acadêmicos.

O apud indica que um autor é citado através de um comentário ou uma citação mediada por outro autor(uma terceira pessoa).

Bakhtin, por exemplo, é um autor muito discutido atualmente. Há vários livros que abordam a vida, as obras e os conceitos do autor.  Bakhtin é citado em muitos trabalhos de monografia, dissertação e tese. O mesmo ocorre, por exemplo, com Vigotski, Piaget, Saussure e Chomsky. Há casos de trabalhos abordam as teorias destes autores, sem que os mesmos sejam lidos. Em outras palavras, o autor não é lido, mas alguém que fala dele.

Há vários livros que visam facilitar a compreensão deste autores. Estas publicações deve ser estudadas. No entanto, elas não devem substituir a leitura dos originais, em especial quando estes autores são autores centrais em trabalhos monográficos e artigos.

O autor de um trabalho monográfico ou artigo deve ter cuidado na forma de citação.

Vejamos um exemplo:

Para Oxford (1990 apud Nunan, 1995), as estratégias de aprendizagem promovem a autonomia. 

Na verdade,  de acordo com a citação acima, Oxford (1990) não foi lida, mas Nunan (1995). Nunan, no exemplo hipotético, fala de Nunan. A leitura não é direta, mas mediada por um outro autor (Nunan, neste caso).

Apud = citado por

Vejamos agora outro exemplo hipotético:

Para Oxford (1990), as estratégias de aprendizagem promovem a autonomia. 

Neste caso, a forma de citação indica que Oxford foi lida.

O apud, especialmente o uso excessivo dele, deve ser evitado por ser uma leitura indireta, influenciada pela leitura de outra pessoa. Se o autor citado é importante e sua obra está acessível, a obra original deve ser lida.

Mesmo quando a citação não é literal, o apud deve ser empregado, indicando que a leitura foi mediada. A leitura do outro autor pode apresentar imprecisões e/ou influências de naturezas diversas.

trabalho acadêmico – escrita científica – citação – referências bibliográficas – leitura indireta – biografias