Arquivo da tag: Ensino

Ano Letivo 2011 – volta às aulas se aproxima

O início do ano letivo se aproxima. Algumas escolas e universidades já iniciam as aulas na semana que vem. A maioria tende a iniciar no dia 7 de fevereiro. O carnaval este ano será em março. Isto possibilitará um numero grande aulas antes do recesso. Na maioria das vezes, o carnaval acontece uma ou duas semanas depois do início do ano letivo.

Com o retorno ao período letivo, diversos eventos escolares e acadêmicos começam a ser planejados e divulgados. É importante ter em mente, especialmente para alunos de graduação e pós-graduação que a participação em atividades acadêmicas ( como congressosm, semanas, simpósios e cia) oferece um interessante e produtivo espaço de enriquecimento currícular e científico. Em alguns casos há a possíbilidade de estudar algo que não faz parte da grade curricular, possibilitando a expansão de perpectivas e despertando possívies novos interesses de pesquisa e atuação profissional.

Sugiro que a agenda de aulas e eventos seja cuidada com atenção ! Alguns eventos são divulgados aqui no Ensino Atual.

Com o retorno às aulas, novidades gradualmente serão incorporadas ao Ensino Atual. Não deixe de conferir, salve o Ensino Atual nos seus favoritos e volte com frequência !

Um excelente ano acadêmico para todos.

Tecnologia e Ensino – Bibliografia

É necessário refeletir sobre as possibildades de emprego de recursos tecnológicos em aulas presenciais e em educação a distância.

Atendendo a pedido, sugestões de bibliografia sobre tecnologia e educação:

CARLINI, A. L. e TARCIA, R. M. L. 20% a distância e agora?: orientações práticas para o uso da tecnologia de educação a distância no ensino presencial. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2010.

COLL, César; MONEREO, Carles. Psicologia da Educação Virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FILATRO, Andrea. Design instrucional na prática. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2008.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e Ensino presencial e a distância. 8ª Edição. Campinas, SP: Papirus, 2003.

MAIA, C. e MATTAR, J. ABC da EaD: educação a distância hoje. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

TORI, R.. Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.

Destaques de junho no Ensino Atual

Metodologia Científica: Modalização e abrandamento em textos acadêmicosLeia aqui !

Dicas de Redação Acadêmica e Científica: visão geral – Leia aqui ! 

O que é material didático? – Artigo para leitura – Leia aqui !

Bibliografia e Referências Bibliográficas – Leia aqui !

Expressões latinas em monografias, artigos e trabalhos acadêmicos – Leia aqui !

O que é linguística? Uma visão geral sobre os estudos linguísticos: Ciências da Linguagem – Leia aqui !

Monografia: Citação indireta por terceiros – Apud – Leia aqui !

FAPERJ completa 30 anos – Leia aqui !

 

Leitura: Modelos de Leitura

A leitura é um tema importante e rico para estudo e pesquisa. Isto faz do assunto um dos mais populares em monografias, dissertações e teses.  Muitos professores indicam a leitura quando recebem pedidos sugestões de temas para a monografia de final de curso. Isto se deve, em parte, à importância do tema para a formação de professores.

No Blog Ensino Atual, a leitura é um dos tópicos mais procurados. Por estes motivos, abordarei introdutoriamente, em alguns post, questões relativas à prática e ao ensino desta importante habilidade linguística. Ressalto que é apenas um post e não um artigo acadêmico.   

 

Visões de Leitura:

Diferentes visões de leitura podem ser encontradas na literatura. Estas visões são também chamadas de modelos de leitura.

Decodificação – modelo baseado na decodificação (interpretação do texto mais diretamente baseada em seu vocabulário e gramática).  Este modelo também é chamado de ascendente (bottom-up) devido ao fato de compreender que o significado de um texto está no próprio texto, cabendo ao leitor apenas localizá-lo. Assim a compreensão vai em fluxo ascendente do texto para o leitor.  Isto indicaria que todos deveriam entender um texto da mesma forma, já que as palavras são as mesmas.  No entanto, sabemos que um texto pode ter várias interpretações. Práticas docentes influenciadas por este modelo valorizam perguntas simples com respostas bem claras no texto. Há casos em que as perguntas seguem a ordem de aparecimento das respostas no texto.  Nesta abordagem, as exepriências e as competências cognitivas do leitor, assim como o contexto social, são geralmente ignorados.

 

Psicolingüístico  – modelo que entende que o significado de um texto está na cabeça/mente do leitor. Neste pressuposto, cada leitor pode realizar uma leitura diferente, já que um leitor difere do outros por uma variedade de aspectos tais como idade, gênero, profissão, orientações políticas, religiosas, filosóficas ….. Como o movimento seria da mente do leitor para o texto, este modelo também é chamado de descendente (top-down). Este modelo valoziza perguntas que dependem das perspectivas, experiências, compreensões e posicionamentos do leitor.

Modelo Interativo/Modelo interacional – ao perceber que os modelos anteriores explicam apenas parcialmente o que acontece na leitura de um texto. Pesquisadores passaram a defender um modelo interativo, na qual o significado de um texto está na interação entre o leitor e o texto. O modelo interativo ou interacional defende que o significado de um texto depende tanto do texto quanto do leitor.

Modelo Socio-interacional – é um avanço do modelo interacional considerando que a interação texto-leitor não ocorre no vácuo. Em outras palavras, há diferentes aspectos contextuais que contribuem para o significado do texto. Ao escrever o autor está cercado de contextos (cultura, história, política, religião, cronológico, etc) e o leitor ao ler um texto, por outro lado, também traz os seus próprios contextos, o que pode fazer com que o significado seja diferente entre leitores e em situações diferentes. Este é o modelo mais defendido atualmente devendo o professo trazer para a discussão estes diferentes aspectos contextuais ao trabalhar um texto em sala de aula.

Wikipedia – Criação de Livros – Um teste

Conforme escrito no post anterior, fiz um pequeno teste com a função/recurso criar livro da Wikipedia.

Escolhi alguns artigos/verbetes relacionados a ciências linguísticas – Linguística, Linguística Aplicada, Sociolinguistica, Linguistica de Corpus, Linguística Comparativa, Linguística Textual.

A função solicitou um título e um subtítulo para o livro. Há a opção de ordenar os artigos. Não fiz uso desta função. Com os conteúdos escolhidos, fiz a solicitação de criação do PDF.

O PDF gerado apresentou:

1) Primeira Página – Título e subtítulo, sendo o primeiro em fonte maior – Nenhuma imagem foi adicionada e também não houve opção de escolher imagem ou design para a capa do livro.

Nesta primeira página, foi criado um rodapé indicado a ferramenta de código livre emprepada para a geração de PDF. O rodapé apresenta um link para maiores informações.

Além disso, o rodapé contém informação de data e hora da criação do PDF.

2) Segunda Página – Com o tìtulo de Conteúdo, a página apresenta o índice do livro. Nela, há três divisões- semelhantes a capítulos: 

2.1- Páginas – Os conteúdos dos verbetes selecionados – As páginas são numeradas.

2.2- Referências – indicações das fontes e editores (provavelmente colaboradores que criaram e editaram os conteúdos) das páginas. Busca-se com isso dar crédito aos autores dos artigos. Edições anônimas – nas quais os colaboradores não queisem se identificar- também são indicadas. As referências são separadas pelos artigos/verbetes.

2.3- Licenças –   Fontes – Editores e Lincenças das imagens.  

O arquivo apresenta na última página a seguinte indicação de licença :  Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported

No próximo post, eu dou a minha opinião sobre o resultado final e faço algumas considerações (talvez até mesmo “apostas”) sobre possibilidades para o futuro do recurso.

 

Wikipedia – Novo Recurso : Criar livros em PDF

A Wikipedia – www.wikipedia.org acaba de disponibilizar um novo recurso que permite criar livros em PDF para download ou impressão.

A novidade acaba de sair do forno. No menu lateral, verifique na caixa imprimir/exportar.

O usuário escolhe criar livros e começa a selecionar os wikis (artigos/verbetes) que devem compor o livro.

Atenção para possíveis termos de uso e limitações, inclusive questões de direitos autorais.

Sem dúvida o recurso pode ser tornar um grande sucesso. No entanto, é necessário cuidado para avaliar a qualidade dos artigos/verbetes. Como os conteúdos da Wikipedia podem ser criados e editados por qualquer pessoa, não há como assegurar a qualidade e a veracidade das informações. A própria Wikipedia reconhece isto. Professores e profissionais habilitados e competentes podem revisar os artigos e atualizá-los.  É possível que este novo recurso motive ainda mais a criação e edição de conteúdos.  

Em geral, o recurso deverá ajudar na elaboração e na disponibilização de apostilas.

Já fiz um teste básico e comentarei  em breve aqui no blog do Ensino Atual.

Vale a pena conferir essa novidade!