Posts tagged Educação

Artigo sobre a elaboração de materiais didáticos para o ensino de línguas estrangeiras

 

A ELABORAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS: AUTORIA, PRINCÍPIOS E ABORDAGENS

VILAÇA, M. L. C. A ELABORAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS: AUTORIA, PRINCÍPIOS E ABORDAGENS.  Cadernos do CNLF. VOL XVI. Num. 4, 2012.

Link para o artigo: http://filologia.org.br/xvi_cnlf/tomo_1/004.pdf

O presente trabalho discute algumas questões relacionadas à elaboração de materiais didáticos. A finalidade básica desta discussão é apontar para a necessidade de mais debates e pesquisas sobre o tema, já que, conforme apontado, a maioria dos estudos e publicações trata da análise de materiais publicados (análise e ou avaliação do produto final) e pouco sobre a elaboração destes (o processo de planejamento e desenvolvimento). Além disso, também é comum que muitas publicações sobre ensino de línguas estrangeiras não apresentem capítulos ou artigos sobre materiais didáticos.

Palestra sobre Interdisciplinaridade com Prof. Jorge Guimarães, presidente da CAPES

O Presidente da CAPES, Prof. Dr. Jorge Almeida Guimarães, proferiu no encerramento no I CONINTER uma rica palestra sobre Interdisciplinaridade e a área Interdisciplinar na CAPES.

Além de discutir a compreensão de interdisciplinaridade, o pesquisador apresentou números de Cursos de Pós-Graduação da Área Interdisciplinar da área e sobre o papel da CAPES no fomento e desenvolvimento da Pós-Graduação Brasileira.

O Brasil tem atualmente 1,4 doutores para cada 1000 habitantes. A meta do Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG)- disponível no site da CAPES – é ampliar significativamente a quantidade de doutores e mestres formados anualmente.

 Link para o Plano Nacionl de Pós-Graduação: http://www.capes.gov.br/sobre-a-capes/plano-nacional-de-pos-graduacao/pnpg-2011-2020

O CONINTER foi o I Congresso Internacional Interdisciplinar em Ciências Sociais e Humanidades, que aconteceu entre 3 e 6 de setembro na UFF, organizado pela Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociais e Humanidade – ANINTER-SH.

No dia 5 de setembro, o Prof. Dr. Jorge Guimarães proferiu palestra na UNIGRANRIO, que contou com a participação de alunos de graduação e pós-graduação, docentes da graduação e docentes dos Programas de Pós-Graduação da UNIGRANRIO. A Palestra teve o papel da CAPES e os Plano Nacional de Pós-Graduação como principais temas. Na ocasião, o professor Jorge Guimarães elogiou o trabalho da UNIGRANRIO no campo da Pós-Graduação, destacando o número de pesquisadores doutores com horário integral.

O Prof. Dr. Ruy Garcia Marques, presidente da FAPERJ, uma das autoridades presentes, ressaltou a crescente participação da UNIGRANRIO em projetos de pesquisas apoiados pela FAPERJ, tanto nas demendas espontâneas permanentes (como os Auxílios a Pesquisa, Instalação e Editoração) quanto nos Editais. Fato este que reforça o trabalho da instituição no desenvolvimento de pesquisas e extensão.

Participaram intensamente docentes e discentes de Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares.

Eu, prof. Jorge Guimarães, Geraldo Rocha, Cleonice Puggian e Renato da Silva no CONINTER

 

Artigo: Questões de comunicação na era digital: tecnologia, cibercultura e linguagem

Artigo: Questões de comunicação na era digital:tecnologia, cibercultura e linguagem

Márcio Luiz Corrêa Vilaça, Elaine Vasquez Ferreira de Araújo
Resumo:

Este artigo discute questões de comunicação em contextos digitais que têm estado presentes na vida social. Este trabalho enfoca considerações a respeito da complexa relação entre tecnologia, cibercultura e linguagem. Inclui discussões sobre webwriting, do internetês, gêneros digitais e da prática de letramento digital. Defendemos a importância e a necessidade destas questões para a formação de professores, em especial de professores de língua e de educação a distância.

 

Palavras chave:tecnologia, cibercultura, linguagem, gêneros digitais, letramento
Issues in communication in the digital age: technology, cyberculture and language
ABSTRACT: This article discusses issues in communication in digital contexts which have been present in social life. This work focuses on considerations concerning the complex relationship among technology, cyberculture and language. It includes discussion on webwriting, the “internetês”, digital genres and digital literacy practices. We claim the importance and the need of such topics in teacher education, mainly for language teachers and distance learning teachers.
Keywords: technology,cyberculture, language, digital genres, literacy
Revista e-scrita: Revista do Curso de Letras da UNIABEU, Vol. 3, No 2A (2012)

Linguística Aplicada, Tecnologia e Educação – LATED-UNIGRANRIO – Grupo de Pesquisa

Grupo de Pesquisa Linguística Aplicada, Tecnologia e Educação – LATED – da UNIGRANRIO.

O Grupo de Pesquisa – cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq – visa promover a integração interdisciplinar de pesquisadores e discentes de graduação e pós-graduação, alunos de iniciação científica e colaboradores quepesquisam temas como:

  • novas tecnologias de informação e comunicação,
  • processo de ensino/aprendizagem de línguas (materna e estrangeiras),
  • educação online
  • letramento
  • materiais didáticos
  • cibercultura e letramento digital

Saiba mais em: http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1177801IQZBLS2

Processo Seletivo para o Mestrado em Letras e Ciências Humanas da UNIGRANRIO: Inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo para o Mestrado Acadêmico em Letras e Ciências Humanas da UNIGRANRIO.

Área de Concentração: Discurso, Cultura e Formação Humana

As linhas de pesquisa:


1 – Gênero, Etnia e Identidade

2- Educação, Linguagem e Cultura

3- Representação da Historicidade, Memória e Discurso

 

Informações detalhadas no site da UNIGRANRIO: http://www.unigranrio.br/pos/stricto/mest-letras-ciencias-humanas/

Edital: http://www.unigranrio.br/pos/stricto/mest-letras-ciencias-humanas/pdf/edital_letras_2012.2.pdf

A importância da atualização do currículo Lattes

Pesquisadores, professores e alunos de pós-graduação, bolsistas de iniciação científicas, entre outros, precisam ter os seus currículos Lattes atualizados e revisados com frequência. O Lattes serve de padrão para o registro de atividades acadêmicas, profissionais e de pesquisa. Os dados registrados lá são úteis para diversas funções, que incluem avaliação de produção intelectual, acompanhar aproveitamento de estudos e pesquisas, identificação de especialistas, seleção de consultores, avaliação de cursos, análise de produção docente análise e avaliação de cursos, dados de grupos de pesquisa, Qualis de periódicos…

O Lattes tem sido empregado como currículo padrão em áreas acadêmicas, científicas e de pesquisa. Logo, o atraso na atualização do Lattes pode ter implicações negativas, já que trabalhos realizados não são “relatados”. Assim, a produção dos pesquisadores e alunos não fica visível, passível de análises qualitativas e qantitativas. Assim, procedimentos que dependem do Lattes ficam prejudicados, tais como avaliações de Programas de Pós-Graduação, corpo docente, produção docente e discente, Qualis de periódicos, entre outros.

O ideal é a atualização constante do Lattes. Ficar meses sem atualizar o Lattes é um erro.

Não deixe de atualizar o seu Lattes com frequência e de revisá-lo com cuidado!

Depois tratarei mais do Lattes! Até a próxima !

Materiais didáticos de E-learning: Power Point e Flash para apresentações, animações e cia

Sem dúvida, o Power Point ainda reina nos ambientes domésticos e profissionais de autoria e distribuição apresentações, animações e slides. É o programa mais usado por professores e profissionais de áreas diversas. Para a visualização das apresentações, é necessário que o dispositivo possua preferencialmente o Power Point ou software compatível, sendo que, no último, caso aumenta a possibilidade de que nem tudo apareça ou seja animado da forma planejada. A própria diferença entre versões do Office pode apresentar surpresas.

A Microsoft, a partir do Office 2003, inseriu uma forma de gravar em CD/DVD os arquivos necessários para a visualização a apresentação. Isto, em parte, resolveria o problema da ausência do software ou conflitos de compatibilidade. No entanto, na prática a situação não é tão simples por alguns motivos: a) alguns usuários não tem privilégios administrativos para instalar programas em computadores, principalmente em ambientes profissionais; b) alguns usuários não gostam ou ficam com medo de fazer a instalação; c) o sistema precisa ser Windows; d) o computador precisar ser capaz de atender a requisitos mínimos de sistema para a instalação do visualizador. Em síntese, a questão não é tão simples.

No caso da internet, o formato mais comum para divulgação profissional de animações e apresentações na internet é o Flash (anteriormente da Macromedia e hoje da ADOBE). É o software de banners, animações variadas, vídeos, muitos jogos… Estima-se que mais de 95% dos computadores tenham o Flash Player instalado. O player pode ser baixado gratuitamente. O problema aqui é a Apple, que não roda Flash no iPad e no iPhone. Os motivos são polêmicos e não convém entrar aqui nesta discussão. Em alguns casos, usuários buscam formas alternativas para instalar o Flash nestes dispositivos, já que a ausência pode influenciar significativamente a visualização de sites e experiências interativas diversas, assim como a visualização de vídeos.

O Flash é muito comum na produção de CD’s e DVD’s com conteúdos diversos, como os que acompanham revistas de informática. É muito usado para e-learning, cursos em CD/DVD e jogos.

O Flash roda diretamente no navegador da internet. O leitor do Flash roda como um plugin/complemento que atua de forma integrada ao navegador. O arquivo em Flash é , em geral, mais leve, seguro e restrito que o Power Point.

O Power Point não salva em Flash. A conversão de uma apresentação de Power Point em Flash não é uma tarefa tão simples, principalmente se o objetivo for manter animações, transições e outras funcionalidades. Há programas gratuitos e pagos, com características e recursos variados. Dependendo dos efeitos e das animações, nem todos os recursos e possibilidades do Power Point são devidamente convertidas para o Flash.

Dispositivos e internet

Materiais didáticos digitais e formatos universais ou multiplataformas

Dispositivos e internetAo trabalhar com educação a distância, blended learning ou, de forma mais abrangente, com educação online, é necessário ficar atento aos requisitos de sistemas para que estudantes e outros participantes do processo consigam abrir os materiais didáticos digitais com facilidade. Para isto devemos ficar atentos ao que podemos chamar de formatos universais ou abrangentes ou multiplataformas. Podemos chamar de formatos universais ou abrangentes aqueles que podem ser abertos com facilidade, em diferentes sistemas operacionais (Windows, Mac e Linux, Android, por exemplo).

O objetivo desta atenção é evitar que o estudante e demais agentes envolvidos no processo precisem instalar programas em seus computadores. Isto é bem mais complexo se o programa necessário requer licença paga. Mesmo no caso de programas gratuitos, alguns usuários podem encontrar dificuldades para instalar e configurar softwares. Não podemos pensar também que os computadores são novos e que são capazes de trabalhar com uma grande diversidade de programas. Como exemplo, posso citar o docx, formato padrão do Office da Microsoft, a partir da versão 2007. Muitos usuários encontram dificuldades de abrir arquivos neste formato. Neste caso, há um pacote de compatibilidade que pode ser baixado gratuitamente. No entanto, muitos usuários desconhecem esta possibilidade.

Alguns formatos de arquivos são bastante populares e podem ser abertos ou executados em diferentes sistemas, independente do computador ser novo ou mais antigo. Isto ocorre com formatos de documentos de texto, vídeos, áudio, imagens e cia.

Em novos posts, dicutirei alguns destes formatos universais que devem ser usados no desenvolvimento de materiais digitais.

Go to Top