Arquivo da tag: EaD

Materiais didáticos digitais em áudio: o formato universal/multiplataforma mp3

Arquivos de áudio
MP3 reina para o som

O formato mais comum de arquivos de áudio é o mp3. Muitos softwares e dispositivos executam também wmf, formato do Windows. Importante ter em mente que hoje não devemos pensar apenas em computadores, mas em tablets, celulares, MP3 players, entre outros.  O computador, logicamente, consegue executar uma diversidade maior de arquivos. Neste sentido, o MP3  parece ser a escolha mais natural.

Configurações no momento da gravação ou conversão do mp3 podem aumentar a sua qualidade. De acordo com a qualidade, o tamanho do arquivo também fica um pouco maior, mas nada que inviabilize o seu uso. Um programa muito popular para editar arquivos de áudio é o Audacity. Hoje há muitas opções gratuitas e pagas de programas para converter, gravar e editar arquivos em mp3. 

Gravações que não necessitam de muita qualidade podem ser gravadas de forma “econômica”, gerando arquivos mais leves.

É crescente o número de materiais didáticos de língua inglesa que são comercializados com arquivos de áudio em mp3 para desenvolvimento da compreensão auditiva. Isto diminui a quantidade de CDs. Além disso, facilita que os arquivos sejam executados em diferentes dispositivos.

Muitos celulares e media players podem ser usados como gravadores de mp3. Isto é uma realidade bem diferente dos antigos gravadores em fita cassete. Neste caso, é importante verificar as configurações. Arquivos em WAVE são bem mais pesados, consumindo muito espaço de armazenamento.

Materiais didáticos de E-learning: Power Point e Flash para apresentações, animações e cia

Sem dúvida, o Power Point ainda reina nos ambientes domésticos e profissionais de autoria e distribuição apresentações, animações e slides. É o programa mais usado por professores e profissionais de áreas diversas. Para a visualização das apresentações, é necessário que o dispositivo possua preferencialmente o Power Point ou software compatível, sendo que, no último, caso aumenta a possibilidade de que nem tudo apareça ou seja animado da forma planejada. A própria diferença entre versões do Office pode apresentar surpresas.

A Microsoft, a partir do Office 2003, inseriu uma forma de gravar em CD/DVD os arquivos necessários para a visualização a apresentação. Isto, em parte, resolveria o problema da ausência do software ou conflitos de compatibilidade. No entanto, na prática a situação não é tão simples por alguns motivos: a) alguns usuários não tem privilégios administrativos para instalar programas em computadores, principalmente em ambientes profissionais; b) alguns usuários não gostam ou ficam com medo de fazer a instalação; c) o sistema precisa ser Windows; d) o computador precisar ser capaz de atender a requisitos mínimos de sistema para a instalação do visualizador. Em síntese, a questão não é tão simples.

No caso da internet, o formato mais comum para divulgação profissional de animações e apresentações na internet é o Flash (anteriormente da Macromedia e hoje da ADOBE). É o software de banners, animações variadas, vídeos, muitos jogos… Estima-se que mais de 95% dos computadores tenham o Flash Player instalado. O player pode ser baixado gratuitamente. O problema aqui é a Apple, que não roda Flash no iPad e no iPhone. Os motivos são polêmicos e não convém entrar aqui nesta discussão. Em alguns casos, usuários buscam formas alternativas para instalar o Flash nestes dispositivos, já que a ausência pode influenciar significativamente a visualização de sites e experiências interativas diversas, assim como a visualização de vídeos.

O Flash é muito comum na produção de CD’s e DVD’s com conteúdos diversos, como os que acompanham revistas de informática. É muito usado para e-learning, cursos em CD/DVD e jogos.

O Flash roda diretamente no navegador da internet. O leitor do Flash roda como um plugin/complemento que atua de forma integrada ao navegador. O arquivo em Flash é , em geral, mais leve, seguro e restrito que o Power Point.

O Power Point não salva em Flash. A conversão de uma apresentação de Power Point em Flash não é uma tarefa tão simples, principalmente se o objetivo for manter animações, transições e outras funcionalidades. Há programas gratuitos e pagos, com características e recursos variados. Dependendo dos efeitos e das animações, nem todos os recursos e possibilidades do Power Point são devidamente convertidas para o Flash.

Formatos universais ou multiplataformas: PDF para materiais didáticos e documentos em geral

PDF : um formato multiplataforma

Recentemente um aluno perguntou sobre o uso de documentos em formato PDF para materiais didáticos. Sem dúvidas, o formato PDF é de grande importância na publicação, divulgação e compartilhamento de documentos. A partir da versão 2007 do Office da Microsoft, é possível salvar arquivos em PDF, fato que muitos parecem desconhecer. Outros editores de textos também permitem isto. Além disso, há programas gratuitos e pagos que permitem a conversão, edição, combinação e publicação em PDF a partir de uma granda diversidade de formatos.

Arquivos em PDF podem ser abertos em diferentes plataformas (Windows, Linux, Mac OS, Android, IOS..), inclusive em dispositivos portáteis como e-readers, tablets, smartphones. Isto sinaliza a forte presença do formato e a ampla penetração em contextos digitais.

Algumas vantagens de arquivos PDF:

  • Proteção contra edicão – quando não se deseja que o arquivo seja editado pelo leitor
  • apagamento e deformações acidentais – arquivos de texto em txt, rtf ou doc, por exemplo, podem ser apagados ou deformados por acidente
  • Evita problemas com fontes, figuras, tabelas e cia – este tipo de problema faz com que o arquivo não seja devidamente visualizado dependendo do computar, principalmente se não forem usadas as fontes seguras e se imagens em formatos pouco comuns forem empregados no texto
  • Evita incompatibilidade entre versões diferentes de editores de texto – alguns problemas podem ser oscilação de espaços em branco, espaçamento, cabeçalhos e rodapés, efeitos em figuras, fluxogramas e gráficos…
  • Formato popular para e-books, documentos oficiais, apostilas, publicações acadêmicas
  • Tamanho (peso) pequeno – principalmente se o documento tiver imagens, gráficos…
  • “aparência” mais profissional

 

O mais comum é produzir o arquivo de texto em editor de preferência como Word, OpenOffice e, quando pronto, gerar uma versão em PDF. Com programas específicos é possível gerar e editar arquivos de excelente qualidade em PDF e adicionar diferentes formas de restrições e proteções.

Em posts futuros, posso comentar e editar alguns softwares para produção, edição e proteção de PDF.

Ensino Atual em EaD – Conteúdos linkados em ambientes virtuais de aprendizagem (AVA)

Muitos conteúdos do Ensino Atual estão sendo referenciados (linkados) em cursos em ambientes virtuais de aprendizagem de diferentes faculdades, universidades e instituições de ensino em geral.

Uma ferramenta de estatística empregada no site indica que links para o Ensino Atual tem sido estabelecidos em diferentes universidades, em ambientes virtuais de aprendizagem.  Isto é uma grande satisfação e anima a continuar com este projeto.

Ajude a divulgar o Ensino Atual.

Cursos de férias – uma interessante opção de formação e capacitação

As férias acadêmicas estão chegando. No entanto, isto não significa que as universidades estarão paradas.  Os cursos de férias, muitas vezes intensivos, são bastante comuns em janeiro.

Há opções em diversas áreas, mas com bastante frequência algumas áreas se destacam com uma ampla diversidade de opções: idiomas, informática, gestão.

Duas vantagens comuns dos cursos de férias oferecidos por universidades são: bom custo e curta duração.  Muitas opções devem ser oferecidas na modalidade educação a distância, o que pode ser um atrativo extra para aqueles que precisam ou desejam maior flexibilidade de horários.

Artigo: Educação a Distância e Tecnologias

Educação a Distância e Tecnologias: conceitos, termos e um pouco de história

Resumo:

A rápida e crescente adoçao da Educação a Distância em diferentes contextos tem feito que alguns conceitos, algumas vezes, estejam imprecisos e ambíguos, tanto para professores e estudantes. Este artigo tem por finalidade discutir objetivamente alguns conceitos chaves em Educação a Distância e no uso de dispositivos e recursos tecnológicos em Educação. O artigo apresenta uma definição para Educação a Distância, um perfil da sua história e desenvolvimento a a discussão de alguns conceitos e terminologias amplamente empregadas na área.

VILAÇA, M. L. C. Educação a Distância e Tecnologias: conceitos, termos e um pouco de história. Revista Magistro, Vol 1, Número 2, 2010.

Leia o artigo: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/magistro/article/view/1197

Moodle 2.0 – Previsão de lançamento

Está previsto para o dia 20 de julho o lançamento da versão 2.0 do Moodle, um Ambiente Virtual de Aprendizagem adotado em instituições de ensino de todo o mundo.  A nova versão, que passou por um longo período de desenvolvimento, promete trazer grandes avanços e novos recursos. No momento, o sistema LMS ( Learning Management System) está em fase final de testes. O lançamento, no entanto, não deverá indicar troca da versão atual de imediato. É provável que as instituições de ensino aguardem certo tempo para a adoção do sistema em cursos de Educação a Distância. Até o lançamento da versão 2.0 estável oficial, alguns pequenos ajustes são prováveis. Professores, designers instrucionais, tutores, e outros profissionais que trabalham com EaD deverão passar por uma fase de adaptação e aprendizagem da nova versão, de forma a aproveitar melhor os avanços da nova versão. 

O ciclo da versão 1.0 foi longo com diversos aperfeiçoamentos, acréscimos e correções de segurança. Por ser um sistema gratuito de código aberto (Open-Source), em licença GPL (General Public License), o ambiente virtual tornou-se um ícone de plataformas para ensino a distância.  A comunidade que colabora para o progresso e crescimento do programa é grande, fato comum em sotwares open-source.  A popularidade de plataforma virtual atriu muitos desenvolvedores, pessoais e empresas, para a criação de módulos e extensões, inclusive da Microsoft ( Confira no MIcrosoft Education Lab – http://www.educationlabs.com ).

Para saber mais, sugiro uma visita ao site do Moodle – www.moodle.org .

Futuramente postarei aqui novos textos sobre a nova versão do Moodle.

O que é blended learning ?

Blended learning é um termo em língua inglesa, normalmente relacionado à Educação a Distância, que pode ser compreendido como ensino semi-presencial ou ensino híbrido. O verbo blend em língua inglesa significa misturar, combinar. Esta forma de ensino, portanto, combina estudo presencial com estudo a distância. Em geral, o termo pode ser empregado para a educação presencial que é complementada com atividades a distância ou para o sentido inverso: ensino a distância que pode ser integrado com atividades online.
 
Em síntese:
 
blended learning = EaD + ensino presencial
blended learning = Ensino Presencial + EaD
 
A diferença da ordem acima representa a forma básica ou predominante de estudo. Não há, entretanto, fórmula fixa de proporção entre as modalidades (presencial e EaD) para cursos de naturezas e níveis diferentes.  
 
O sentido de EaD acima está mais diretamente relacionado à aprendizagem virtual/online, representando, portanto, a convergência do presencial com o virtual.
 
O blended learning independe de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA).
 
O amplo uso do termo em língua inglesa reflete a importância desta língua para a EaD. Há basicamente dois motivos para isto: 1) a importância de universidades britânicas e amaricanas – que apresentam elevado nível de pionerismo, experiências e pesquisas; e 2) o impacto dos Estados Unidos no desenvolvimento e na popularização de tecnologias.