Com bastante frequência, podemos escutar a expressão “método eclético“. Algumas vezes a mesma é empregada por professores que não pretende salientar que não adotam “métodos rígidos” ou ainda como oposto à métodos tradicionais (expressão geralmente usada de forma pejorativa). Afinal, o que é um método eclético? Quais as possíveis vantagens do ecletismo pedagógico? Qual a relação entre o método eclético e a era pós-método?

Convém destacar que o ecletismo deve ser compreendido como flexibilidade e não como ausência metodológica. Conforme defendido por Larsen-Freeman(2003) e Brown(2001), o método eclético deve conduzir a uma prática coerente e plural no ensino de uma língua, onde grande variedade de atividades possa ser empregada de forma a facilitar, acelerar ou otimizar o processo de ensino. Os autores e pesquisadores apontam que este ecletismo deve ser guiado por princípios.

Ao adotar um método eclético, o professor deve ser capaz de fazer escolhas metodológicas que atendam às características e às necessidades de seu contexto pedagógico. Portanto, ele deve estar atento para que o caminho até seus objetivos seja coerentemente percorrido. Em outras palavras, toda atividade docente deve ser justificável e estar em harmonia com os objetivos de ensino/aprendizagem.

 

Leia gratuitamente o artigo citado na íntegra:

VILAÇA, M. L. C.Métodos de Ensino de Línguas Estrangeiras: fundamentos, críticas e ecletismo. Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades da Unigranrio. Volume VII. Número XXVI. Julho-Setembro de 2008. ISSN 1678-3182

LEIA O ARTIGO. DISPONÍVEL PARA LEITURA

Referência citada no fragmento acima:

 
LARSEN-FREEMAN, D. Techniques and Principles in Language Teaching. Second Edition. Oxford: Oxford University Press, 2003.
 
artigo – método eclético – metodologia – linguística aplicada – era pós-metodo – post-method era – applied linguístics