O termo design instrucional tem sido amplamente empregado para se referir ao planejamento, desenvolvimento e avaliação de cursos de Educação a Distância (EaD). A palavra design se refere ao processo de planejamento, organização, formatação e desenvolvimento de metodologias de ensino, materiais didáticos e atividades pedagógicas de naturezas variadas. Em Educação e em Linguística Aplicada, o termo design é geralmente traduzido como desenho de curso.

No caso específico da modalidade EaD, o designer instrucional atua de forma semelhante a um coordenador e supervisor de projetos em EaD, contribuindo de formas diferentes para o planejamento, a elaboração e a implantação de cursos.

Em geral ele tende a servir de elo entre diferentes áreas e profissionais: os gestores (financeiros e administrativos) , os progamadores e designers gráfico e de web, o professor(também chamado de professo-tutor) e o professor-conteudista.

O conteudista muitas vezes elabora um material de acordo com orientações, princípios e abordagens estabelecidas pelo designer instrucional. As decisões do designer instrucional são tomadas com base em interações com as áreas administrativas, pedagógicas e tecnológicas.  Cabe, por exemplo, ao designer instrucional orientar os conteudistas no empregos dos recursos pedagógicos e tecnológicos disponíveis em ambiente virtuais de aprendizagem.

A atividade de design instrucional requer, portanto, domínios váriados. Ele deve ser capaz de tomar decisões pedagógicas, compreender as tecnologias a serem empregadas e dialogar com profissionais diversos. Ele deve conhecer tecnologias e softwares que podem ser usados em EaD. Muitas vezes falta ao professor e ao conteúdista o domínio adequado das tecnologias de informação e comunicação.

Em síntese, o designer instrucional trabalha de forma semelhante a um coordenador pedagógico em Educação a Distância, com bons conhecimentos de tecnologia.

Por que ele é importante? Simples. Os profissionais de tecnologia geralmente pouco ou nada sabem sobre Educação. Por outro lado, muitos educadores não dominam tecnologias que podem ser empregadas no processo de ensino-aprendizagem.  O designer instrucional tenta estabelecer diálogo e harmonia entre a área tecnológica e a área pedagógica, sem esquecer da parte gerencial.