A leitura é um tema importante e rico para estudo e pesquisa. Isto faz do assunto um dos mais populares em monografias, dissertações e teses.  Muitos professores indicam a leitura quando recebem pedidos sugestões de temas para a monografia de final de curso. Isto se deve, em parte, à importância do tema para a formação de professores.

No Blog Ensino Atual, a leitura é um dos tópicos mais procurados. Por estes motivos, abordarei introdutoriamente, em alguns post, questões relativas à prática e ao ensino desta importante habilidade linguística. Ressalto que é apenas um post e não um artigo acadêmico.   

 

Visões de Leitura:

Diferentes visões de leitura podem ser encontradas na literatura. Estas visões são também chamadas de modelos de leitura.

Decodificação – modelo baseado na decodificação (interpretação do texto mais diretamente baseada em seu vocabulário e gramática).  Este modelo também é chamado de ascendente (bottom-up) devido ao fato de compreender que o significado de um texto está no próprio texto, cabendo ao leitor apenas localizá-lo. Assim a compreensão vai em fluxo ascendente do texto para o leitor.  Isto indicaria que todos deveriam entender um texto da mesma forma, já que as palavras são as mesmas.  No entanto, sabemos que um texto pode ter várias interpretações. Práticas docentes influenciadas por este modelo valorizam perguntas simples com respostas bem claras no texto. Há casos em que as perguntas seguem a ordem de aparecimento das respostas no texto.  Nesta abordagem, as exepriências e as competências cognitivas do leitor, assim como o contexto social, são geralmente ignorados.

 

Psicolingüístico  - modelo que entende que o significado de um texto está na cabeça/mente do leitor. Neste pressuposto, cada leitor pode realizar uma leitura diferente, já que um leitor difere do outros por uma variedade de aspectos tais como idade, gênero, profissão, orientações políticas, religiosas, filosóficas ….. Como o movimento seria da mente do leitor para o texto, este modelo também é chamado de descendente (top-down). Este modelo valoziza perguntas que dependem das perspectivas, experiências, compreensões e posicionamentos do leitor.

Modelo Interativo/Modelo interacional – ao perceber que os modelos anteriores explicam apenas parcialmente o que acontece na leitura de um texto. Pesquisadores passaram a defender um modelo interativo, na qual o significado de um texto está na interação entre o leitor e o texto. O modelo interativo ou interacional defende que o significado de um texto depende tanto do texto quanto do leitor.

Modelo Socio-interacional – é um avanço do modelo interacional considerando que a interação texto-leitor não ocorre no vácuo. Em outras palavras, há diferentes aspectos contextuais que contribuem para o significado do texto. Ao escrever o autor está cercado de contextos (cultura, história, política, religião, cronológico, etc) e o leitor ao ler um texto, por outro lado, também traz os seus próprios contextos, o que pode fazer com que o significado seja diferente entre leitores e em situações diferentes. Este é o modelo mais defendido atualmente devendo o professo trazer para a discussão estes diferentes aspectos contextuais ao trabalhar um texto em sala de aula.