Tecnologia

Bom, bonito e grátis – Sim, isto é possível

Conhece a teoria do bom, bonito e barato? E a boa relação custo-benefício? Utopia? Não. Sim, é possível. Sistemas gratuitos open source, como o Joomla, o WordPress, o Dupal e o Moodle, são casos deste bom, bonito e grátis.  Hoje um bom percentual de sites no mundo é construído com sistemas open source, nos quais milhares de desenvolverdores, analistas e designers trabalham continuamente para aperfeiçoar estes sistemas.

Patrocínios, doações e ajudas de naturezas variadas pode ajudar a fortalecer o movimento open source e o desenvolvimento de aplicações poderosas e seguras.

 Alguns artigos da Wikipedia podem ajudar a refletir sobre softwares gratuitos:

 

Código Abertohttp://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3digo_aberto

Software livre – http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_livre

Licença GPLhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Licen%C3%A7a_P%C3%BAblica_GNU

 

 

 

 

 

 

Templates para Joomla

O design do Joomla é estabelecido por um modelo chamado template. A palavra inglesa é empregada também em publicações e sites em língua portuguesa. O template é preenchido dinâmicamente por conteúdos dos bancos de dados. Há uma grande quantidade de templates gratuitos disponíveis na internet.

É preciso tomar alguns cuidados ao escolher um template, por exemplo:

  • compatibilidade entre o template e a versão instalada do Joomla;
  • propagandas em templates gratuitos, especialmente se o site for “profissional” ou comercial;
  • possíveis links inseridos por quem oferece o template – imagine algum template que, quando clicado, conduza o visitante a um site de conteúdo suspeito, impróprio ou incompatível com o site

Isto não significa que os templates gratuitos sejam ruins ou devam ser evitados. O que aponto é que precisam ser escolhidos com certo cuidado.

Há empresas e profissionais que podem criar templates específicos para o seu site.

Além disso, há empresas que vendem templates com um bom nível de customização. Alguns destes templates comerciais podem ser modificados de forma a parecer “quase” um template específico. Algumas empresas oferecem frameworks (pequenas aplicações que rodam dentro do Joomla) que permitem ajustes e configurações diversas em templates.  Neste caso os templates podem ter preços específicos ou serem comercializados por meio de assinaturas. Uma pesquisa no Google pode revelar diferentes empresas que vendem templates.  Uma sugestão de site para pesquisar templates gratuitos e pagos para Joomla: www.bestofjoomla.com.

Os templates para Joomla apresentam espaços onde conteúdos e ferramentas podem ser publicadas. São as chamadas module positions (Posições de módulos) ou template positions. De uma forma geral, quanto mais positions, mais chances de organizar e diversificar as formas de apresentação dos conteúdos.

Outro aspecto importante são as chamadas module variations (variações de módulos).  Em termos de template, imagine os módulos como pequenos blocos (quadrados ou retangulares) para conteúdos, ferramentas e cia. As module positions são áreas disponíveis no template. As module variations são as formas (de design) disponíveis para os módulos.

Em síntese, templates flexíveis com muitos module positions e diversos module variations tendem a ser mais interessantes para adequar o design do Joomla às suas necessidades.

Em alguns casos, é possível encontrar incompatibilidade entre templates e algumas extensões. Os templates também podem não funcionar de forma idêntica em diferentes navegadores. É sempre bom testar o sites em diferentes navegadores, especialmente nos mais populares. No caso do Brasil, os mais populares são: Internet Explorer, Chrome, Firefox e Opera. É possível que um site se comporte de forma um pouco diferente dependendo da versão do navegador( IE 7 e 8, por exemplo).

Ferramentas de estatísticas pode informar os navegadores mais empregados pelos visitantes do seu site.

WordPress para principiantes – blogs, sites de notícias …

O WordPress é outro sistema popular para criação de sites dinâmicos (www.wordpress.org). Trata-se de outros sistema open source de destaque. Provavelmente deve ser o mais popular. A sua popularidade se deu pelo seu uso básico: criar blogs.  Muitos sites apresentam comparações entre o WordPress e o Joomla, uma tarefa dificil, até mesmo porque os dois sistemas possuem ampla quantidade de defensores.

As potencialidades do WordPress são ampliadas nas atualizações. Com isto, ele passa cada vez mais a ser considerado por muitos como um CMS ( Content Management System).  Considerando as instalações básicas, o WordPress é menos preparado para um Portal que o Joomla. No entanto, ele é geralmente a primeira opção para publicar blogs e para sites de notícias.

Se o Joomla possui milhares de extensões, o WordPress possui milhares de plugins que adicionam funcionalidades variadas ao sistema, possibilitando a construção de sites mais complexos.

Publicar um post no WordPress é simples como enviar um e-mail. Praticamente não tem curva de aprendizagem. A aprendizagem básica é quase que instantânea. Se no Joomla os conteúdos são chamados de artigos, no WordPress eles são chamados de posts.

Sem dúvida, a grande vantagem do WordPress é a simplicidade. É muito simples de publicar conteúdo, de fazer backup(exportar conteúdos), de atualizar, de revisar artigos, de ter conteúdos comentados ou avaliados… Para adicionar enquetes, é preciso instalar um plugin. Para ter as estatísticas de acesso, também.

Os plugins podem ser pesquisados e instalados de dentro do próprio WordPress. Convém sempre examinar as estatísticas, as avaliações e os comentários de quem já instalou o plugin desejado, sem contar com a compatibilidade com a versão do WordPress empregada.

Assim como o Joomla, o WordPress também está divido em duas áreas: backend e frontend. O backend do WordPress é mais objetivo e simples que o do Joomla. Nele, os administradores ou autores administram o sistema e escrevem os posts, que são organizados em categorias (assim como os artigos do Joomla). Um post pode pertencer a várias categorias ao mesmo tempo. Outras marcas do WordPress são as tags e o sistema que permite comentários dos leitores.

Os comentários podem ser publicados imediatamente ou com moderação. No segundo caso, o comentário é avaliado e aprovado por alguém para que ela seja liberada. É comum que o WordPress seja preparado para não aceitar comentários com palavrões ou outras palavras que podem ser insultos, propagandas ou links. Observe isto em sites de jornais online e notícias. Algumas vezes a palavra é digitada de forma diferente, abreviada ou segmentada para tentar burlar estes sistemas. Assim, muitas vezes é recomendado que a moderação seja feita de forma individual. No entanto, esta tarefa pode não ser viável dependendo da quantidade de comentários. É possível estabelecer que apenas usuários cadastrados no sistema possam publicar conteúdos.

A aparência no WordPress é estabelecida pelos temas, com milhares de opções gratuitas e pagas. Na maioria das vezes o design se baseia em duas ou três colunas.

Como instalar o Joomla

Há duas formas de instalação do Joomla : instalação em computador local (desktop) ou notebook e instalação em servidor de hospedagem.

a) Instalação em computador – (desktop ou notebook) – também chamada de localhost

Este tipo de instalação deve ser feita para estudo, desenvolvimento, programação, teste e design. Neste caso, o site não fica disponível para visita pela internet.

O Joomla requer um servidor, com linguagem PHP e banco de dados (basicamente MySQL).  No Linux, os servidores Apache, o PHP e o MySQL podem ser instalado com muita facilidade. O Linux é o ambiente natural para isto.

No Windows, há pacotes que instalam o Apache, o MySQL e o PHP de forma fácil, juntamente com outras ferramentas.  Dois casos famosos são o LAMP e o WAMP. O Joomla deve ser instalado no Apache. Ele requer a criação de um banco de dados, com um usuário com privilégios totais.

Depois de enviar os arquivos para o Apache, o usuário deve iniciar a instalação e completar os dados solicitados pelo Joomla, basicamente o nome do banco de dados, sua localização, o nome do usuário (do banco de dados) e a senha deste usuário.

Esta tarefa pode ser confusa ou um pouco difícil para iniciantes. Neste caso, recomenda-se que busque orientação de alguém mais experiente ou estude os procedimentos com mais detalhes.

b) Instalação em servidor de hospedagem (comercial ou institucional, por exemplo)

Neste caso, o site fica online disponível para visitas. É preciso que a conta de hospedagem aceite as exigências do Joomla (Versão de PHP e MySQL, basicamente).  Neste caso, é comum a chamada hospedagem em Linux, que naturalmente é bastante adequada para a instalação do Joomla e do WordPress.

Há duas formas de instalação do Joomla em servidores comerciais (empresas de hospedagem de sites): por instalador de scripts e manual.

A maioria das empresas de hospedagem oferecem Instaladores de Scripts, como o famoso Fantastico Deluxe, para que dezenas de sistemas sejam instaladas com poucos cliques. Cem dúvidas, é a forma mais fácil de instalar o Joomla, gastando menos de 5 minutos, geralemente em e etapas muito breves.  Você indica onde pretende fazer a instalação, indica um e-mail, estabelece um nome de usuário (username) e uma senha.

Esta senha deve ser longa e difícil, preferencialmente combinando números, letras maiúsculas e minúsculas, caracteres especiais. Em post específico, abordo como criar senhas mais seguras.

A outra forma de instalação é manual, mais complexa, demorada e requer conhecimentos intermediários. É feito da “mesma” forma da instalação no localhost(computador).  Logicamente neste caso os arquivos são enviados para o servidor e o banco de dados é criado no painel de controle da conta de hospedagem. Ajuda de alguém mais experiente, principalmente para criar o banco de dados e para enviar os arquivos para o servidor, pode ser necessária. Em geral, as empresas de hospedagem não oferecem este tipo de suporte para instalação de sistema.  Há pessoas e empresas que oferecem este serviço.

Requisitos do Joomla 1.7 (Verifique sempre o site oficial – www.joomla.org):

PHP 5.3 (desejável) ou 5.2.4 (mínimo)

MySQL 5.0.4 (ou mais)

Apache 2 ou Microsoft IIS 7

Joomla para principiantes – um poderoso sistema para sites dinâmicos

O sistema Joomla encontra-se hoje na versão 1.7 e nos próximos dias uma nova versão será lançada com o número 2.5 ( O pulo na numeração é estranho mesmo).

O Joomla é um sistema muito poderoso, que pode receber funções e ferramentas extras, por meio de extensões. gratuitas ou comerciais. Isto possibilita a capacidade de criar portais com muitas funcionalidades. Recomenda-se verificar as extensões no site do sistema em www.joomla.org. Antes de instalar uma extensão, verifique as informações, os comentários e as avaliações de usuários.

No início, o usuário pode achar o sistema um pouco complexo de usar, já que são muitas as possibilidades. No entanto, poucas horas podem fazer com que o iniciante entenda como publicar conteúdos, estabelecer links, instalar extensões…

Os conteúdos no Joomla são basicamente chamados de artigos. Os artigos devem ser organizados em categorias. Isto facilita entre outras coisas localizar os artigos dentro do sistema ou para estabalecer divisões por categorias dos conteúdos. Isto é semelhante às categorias em blogs e às pastas em computadores.

O design do Joomla é chamado de template. Há templates gratuitos e pagos, além de plataformas (frameworks) de organização dos layouts. Basicamente os templates são formados por poucos arquivos de html, css e imagens. O template é responsável pela organização e aparência básica dos conteúdos nas páginas. As páginas são geradas dinamicamente no Joomla por meio de consultas ao banco de dados. Em síntese, o banco de dados oferece os conteúdos, o template faz a organização do design.

Ao pesquisar templates, o usuário deve verificar a compatibilidade do template com a versão do Joomla empregada.
Há muitos templates (nome do design) gratuitos, assim como extensões (complementos que adicionam funções). O sistema já vem com possibilidade de gerar enquetes.

O Joomla é dividido em duas áreas frontend (parte externa do site) e backend (parte interna, restrita do site).
O frontend pode ser visto por qualquer visitante, sem precisar de login ou privilégios especiais. Esta á parte nítida do site. Como comparação, vamos pensar em um site de jornal, universidade ou banco, há partes que podem ser vistas por qualquer pessoa. Elas apresentam os conteúdos considerados públicos. Em muitos casos, os vsisitantes podem encontrar áreas que permitem comentários, enquetes, contato…

O backend requer acesso por login. São partes administrativas ou restritas do site. Os usuários podem acessar a parte interna do Joomla para ver conteúdos restritos (artigos, vídeos, funções específicas…). Há diferentes possíveis papéis para os usuários, o que limita o tipo de acesso e de poderes do usuário. Se for, por exemplo, um site para uma escola ou universidade, papéis diferentes podem ser atribuídos a alunos, professores, coordenadores, diretores. Há, portanto, níveis e tipos de acesso com funções e conteúdos limitados. O Joomla permite fazer isto com facilidade e com muitos recursos. Dependendo do objetivo do site, o acesso ao backend pode ser restrito ao administrador do site ou a poucos usuários.

O Joomla tem sido muito empregado por universidades, departamentos governamentais, congressos, organizações profissionais e acadêmicas.

Criar sites estáticos – como, quando e programas

Atualmente só devemos criar um site estático em situações bem específicas, por exemplo:

a) tiver funções muito limitadas,
b) tiver poucas páginas,
c) quase não precisar de atualização
d) for hospedado em provedores html gratuitos – que não permitem linguagens dinâmicas e bancos de dados

Sites estáticos podem ser desenhados em programas editores visuais como:

Dreamweaver (da Adobe) – www.adobe.com
Namo Web Editor – www.namo.com
WebPlus – www.serif.com
Web Designer 7 – www.xara.com
WYSIWYG Web Builder – www.wysiwygwebbuilder.com/
Kompozer (Gratuito) – www.kompozer.net
Expression (da Microsoft) – www.microsoft.com.br

Em programas editores visuais, os sites são criados de forma semelhante a um editor de texto ou software de apresentação. Logicamente links são criados para lilgar as páginas. Com poucas horas, é possível se acostumar com muitos destes programas e começar a criar sites. O usuário deve pesquisar um pouco sobre webdesign, design, esquemas de cores, usabilidade, entre outros assunto. Caso contrário, poderar criar um site feio, lento ou de difícil nevagação.

As páginas são criadas no computador do usuário e depois enviadas para o servidor. Cada nova página precisa ser enviada para o servidor. Modificações em páginas também precisam ser feitas no computador para depois serem enviadas para o servidor. Os menus  e links precisam ser revisados com frequência para evitar links quebrados. Ao mudar o design do site, muitas vezes é preciso enviar tudo de novo para o site. Tudo isto depende da tecnologia e do programa empregados.

Se o seu site terá poucas páginas (10, por exemplo) e seus conteúdos forem atualizados com pouca frequência, um site estático pode ser uma boa opção, já que há muita liberdade para o design e requer um servidor bem simples com pouco espaço para as páginas.

Muitos editores visuais oferecem designs modelos (templates) que podem ser customizados (mudar cores, fontes e imagens, por exemplo) e preenchidos com as suas informações.

Como criar um site? – Série de dicas de webdesign

Como criar um site ?

Muita gente gostaria de ter um site, mas não sabe direito como. Numa série de posts, traterei disso. Quem sabe você não se anima e cria o seu site ou contrata alguém para te ajudar nesta tarefa.

Há basicamente dois tipos de sites: estatícos e dinâmicos. Esta discussão já foi feita aqui, mas retorno brevemente a alguns pontos.

Algumas características dos dois tipos:

Site estático – basicamente poucas páginas em html ligadas por links

Formatação/design: html, css
Animações: FLASH e gif animado, HTML 5
Alguma interatividade: Javascript
Imagens: jpeg, png, gif …

Sites dinâmicos – pode ter milhares de páginas geradas dinâmicamente por bancos de dados

Formatação/design: html, css
Animações: FLASH, gif animado, HTML 5
Programação: PHP, ASP, Java … (linguagens dinâmicas)
Interatividade: Javascript e programação
Imagens: jpeg, phg, gif…

Descubra mais sobre sites estáticos e dinâmicos aqui: http://ensinoatual.com/blog/?p=393

O frenético mundo dos tablets e dos smartphones

É fácil constatar uma corrida por lançamentos de modelos de tablets e smartphones. O fim do ano parece ter acelerado este andamento e deixado a questão ainda mais confusa e frenética. No campo dos smartphones, a questão está mais complexa ainda. Vejamos alguns exemplos. A Samsung lançou no esta semana no Brasil o Galaxy Note, uma mistura entre tablet e smartphone, como muitos sites apontam. Coincidência ou não, o preço do Galaxy SII já sofreu redução em algumas lojas virtuais de expressão. Esta redução foi ainda maior horas (ou seriam minutos) depois da TIM e OI informarem preços para o iPhone 4S. Além disso, a Apple indica que pretende vender o seu celular desbloqueado.  Há ainda uma versão mais simples de 8Gb do iPhone que também começará a ser comercializado em breve.

Certamente estes anúncios de preços do iPhone, com vendas anunciadas para próximo dia 16, farão que o mercado de smartphones entre em promoções e oscilações de preços e condições.

Duas lojas famosas já comercializam o Optimus Black por R$999,00. O preço, em muitas lojas, está em torno de R$1399,00. É provável que o aparelho tenha o seu preço reduzido para a faixa de R$1000,00, já que modelos como o Optimus 2x e o Optimus 3D já podem ser encontrados com preços reduzidos.  Os smartphone Android de núcleo único deverão ter seus preços pressionados pelos lançamentos e preços dos aparelhos dual core.

Vejamos um exemplo de quada de preços de Tablet. O Zoom teve hoje uma grande redução de preço em, pelo menos, uma loja virtual, chegando a ser comercializado por menos de R$1400,00, na versão com wi-fi e 3G. Curiosamente o aparelho está difícil de ser encontrado em lojas de operadoras de telefonia. Logo, é possível imaginar que o lançamento do Xoom 2 esteja mais próximo do que o imaginado. Talvez a redução intensa e o desaparecimento em muitas loja sejam sinais de queima de estoque.

O Galaxy Tab também começa a ficar mais visível em lojas. Seria uma estratégia para aproveitar o “sumiço” do Zoom ou uma consequência de modelos menores da Samsung e de outros modelos, inclusive da Positivo.

Em síntese, o mercado está de grandes emoções e de risco, já que o preço pode ser rapidamente alterado. Imagine comprar um tablet ou um smartphone de manhã e ver o preço do mesmo reduzido R$200,00 ou mais na tarde do mesmo dia.

 

 

Go to Top