Arquivo da categoria: Tecnologia

Moodle e PHP 5.3 – Cuidados ao atualizar o sistema

O Moodle 2.0 recomenda que a versão do PHP seja 5.3. Embora tenha conseguido fazer uma instalação na versão 5.2, recentemente tive um problema na atualização. A atualização ficava travada, aparentemente por causa da diferença de versão. O sistema mandava verificar a versão do PHP – recomendando a 5.3. Ele não deixava cancelar a atualização. Assim, pelo menos para o administrador do sistema, ele ficava inútil, já que não era possível sair da página de atualização. Provavelmente outros usuários encontrariam problemas para logar no sistema.

Uma rápida pesquisa em empresas de hospedagem sinalizou que muitas (provavelmente a maioria ) empregam versões 5.2 do PHP. Por questões de segurança e compatibilidade, a atualização do PHP em servidores compartilhados (shared hosting) é complexa, já que pode afetar aplicações de diversos usuários, que hospedam sites diferentes no mesmo servidor.

Considerando a minha experiência, aconselho que cuidados sejam redobrados no processo de atualização do sistema. É provável que muitas instituições e profissionais aproveitem o período de recesso escolar para fazer atualizações antes da volta às aulas. Assim, certifique-se de realizar backups bastante abrangentes e variados dos cursos e dos ambientes.

Verifique um dos posts anteriores que apontam algumas formas de backup de sites.

Lançamento do Joomla 2.5

Esta semana uma nova versão do poderoso CMS Joomla foi lançada. O Joomla 2.5 é uma atualização que oferece novas características. O Joomla – www.joomla.org – adotou uma nova estratégia de lançamentos.  A última versão estável é era o Joomla 1.7, que deixará de ter suporte no próximo mês. A versão 1.5 também deixará de ter suporte para atualizações em breve. Assim, atualizar o sistema para a versão 2.5 deverá ser o movimento natural para a maioria dos sites, até mesmo por questões de segurança.

A nova estratégia pode fazer com que novidades sejam incorporadas ao Joomla mais rapidamente, o que pode ampliar as potencialidades do popular CMS.

Entretanto, o sucesso desta estratégia pode ser afetado caso existam dificuldades de atualização ou incompatibilidade de extensões e templates.  Este é o ponto que merece atenção.  Afinal, não é interessante precisar trocar extensões e temas em curtos intervalos de tempo.

O lançamento da tão aguardada versão 1.6 no ano passado gerou certa insatisfação por não ser tão simples a atualização a partir da versão 1.5. Como consequência, muitos sites permaneceram na versão 1.5 do Joomla (que ainda tem suporte de atualizações) por causa da grande quantidade de extensões e temas compatíveis.

Particularmente aguardarei mais alguns dias antes de atualizar meus sites para o Joomla 2.5 para ter mais segurança de que os templates e extensões funcionem bem.

Muitos sites de congressos, de departamentos de universidades, de grupos de pesquisa e de programas de pós-graduação são feitos em Joomla.

Rankings de Hospedagem de sites – análise e critérios

É possível encontrar diversos sites com rankings de hospedagem, de provedores nacionais e internacionais. Muitas vezes os critérios que conduziram à elaboração dos rankings não são claros. Convênios e propagandas podem direcionar alguns rankings, já que muitos deles não se baseiam em métodos rígidos ou “científicos” de análise ou avaliação.

Um bom fator para ajudar a selecionar um provedor é buscar análises e comentários de usuários destes serviços. Logicamente será difícil encontrar qualquer empresa de hospedagem que só tenha clientes satisfeitos. Elogios podem até mesmo ser publicados pelas próprias empresa, assim como reclamações podem ser por concorrentes.

Propagandas podem ser encontradas em alguns fóruns. Verificar os possíveis criterios é muito importante antes de tomar um ranking como algo definitivo. Ler resenhas de usuários pode ser bastante importante, assim como pesquisar comentários em fóruns, comunidades do Orkut, comentários em redes sociais…

É fundamental ter em mente que a escolha da hospedagem deve ser guiada pelas necessidades do usuário. Vejamos um exemplo: um serviço excelente oferece um preço baixo, porém o plano de hospedagem limita a quantidade ou o tamanho de bancos de dados, o que pode inviabilizar a sua escolha. Outro exemplo: a versão do PHP não é recomendada para o seu sistema.

Enfim, critérios são necessários.

Como fazer backup de sites – algumas formas e dicas

Backups são sempre importantes. Isto também é importante para sites. Serviços gratuitos geralemente não oferecem opções de backup. Além disso, eles muitas vezes no termo de uso isentam-se de responsabilidades de backup e permanência do serviço. Assim, seu site pode ficar online e você não ter condição de fazer a transferência para outro serviço ou provedor.

Provedores comerciais – as empresas de hospedagem de sites – oferecem opções de backup. Neste caso, é bom verificar as características de backups oferecidas pela empresa. Algumas realizam backups semanais outras diários, logicamente sendo os diários mais seguros.

Imagine que o seu site passe por um problema, ao entrar em contato com a empresa, você pode se informar qual o último backup que eles realizaram e, dependendo do caso, solicitar restauração. Se o backup for antigo, muitos conteúdos não poderão ser recuperados. Algumas empresas de hospedagem cobram pela recuperação do backup. É bom se informar também neste sentido, principalmente se o problema for causado pelo servidor. Ou seja, não foi causado por você.

Pensemos aqui em sites dinâmicos que podem ter centenas ou milhares de páginas, com conteúdos diversos, usuários cadastrados… Perder o site é um grande transtorno e pode ter várias consequências. O backup de sites dinâmicos é mais complexo que o backup de poucos arquivos de um site estático.

Vejamos algumas formas de backup:

a) backup geral da conta – O Painel de Controle da sua conta de hospedagem pode oferecer uma opção abrangente de backup de toda a sua conta de hospedagem. Neste caso, você realiza um backup total, gerando um arquivo grande (dependendo da sua conta de hospedagem), que pode ser empregado para recuperar o site.  Este tipo de backup é bastante volumoso e pode afetar o desempenho do seu site. Assim, dê preferência a horários de menor movimento.

b) backup de banco de dados – No painel de controle da sua conta de hospedagem você pode realizar, na maioria das vezes, o backup do seu banco de dados, muito importante para instalações de sites dinâmicos.

c) backup dos arquivos via FTP – Usando um programa de FTP, você pode fazer o download dos arquivos do seu site. O Filezilla é um FTP gratuito muito empregado.

Dependendo das características do seu site, a recuperação depende dos arquivos baixados pelo FTP e do backup do banco de dados. Sem o banco de dados, o site não funcionará. Isto depende do sistema.

c) Backups por ferramentas do sistema do site (backup interno) – Este tipo de backup é feito por ferramentas ou extensões internas ao sistema empregado no seu site.  Em alguns casos, o  arquivo de backup pode ser baixado pelo sistema (do backend). Em outros, eles devem ser baixados por FTP.

Vejamos alguns casos:

Moodle – há uma funcionalidade de backup interno – tanto para cursos específicos como backups mais abrangentes. É possível programar para que os backups sejam feitos automaticamente.

Joomla – A extensão Akeeba Backup é a referência de backup no sistema, sendo uma das indicações dos autores.

WordPress – o sistema permite exportar conteúdos. Além disso, há plugins que prometem fazer backups.

Em síntese, há diferentes formas de backups, que dependem das características e dos sistemas dos sites, além da forma de hospedagem. Verifique atentamente estas questões com o seu provedor, inclusive a periodicidade e possíveis custos, e estude as formas de backup possíveis para o seu site.

Planeje uma rotina e procedimentos de backup para o seu site. Afinal, problemas podem ocorrer.

As formas e custos de backups e restaurações podem ser um aspecto importante a avaliar na escolha de um provedor de hospedagem e no sistema de site empregado.

Estude bem as formas possiveis de backup do seu site para não ver o seu trabalho ser perdido em caso de problemas.

Extensões para Joomla – como escolher as suas para criar sites e portais

O poder do Joomla pode ser ampliado com a instalação de extensões. Há uma quantidade impressionante de extensões pagas e gratuitas. Elas podem ser pesquisadas no site do Joomla (http://extensions.joomla.org/) . Lá o usuário pode escolher as extensões conforme as necessidades e os objetivos do site.

A escolha deve ser feita com alguns critérios e cuidados, assim como tratado no post sobre os plugins do WordPress. A questão da compatibilidade entre as extensões e as versões do Joomla requer um pouco mais de cuidados que no caso do WordPress. Muitas extensões populares, por exemplo, não são ainda compatíveis com a última versão do Joomla.

O site de extensões do Joomla é bastante amigável, com análises (reviews), notas (ratings) e comentários. Ao escolher uma extensão é importante verificar entre outras coisas:

a) tipo de licença;

b) compatibilidade;

c) quantidades de downloads(popularidade) e data de atualização;

d) análises e notas atribuídas por usuários;

e) possíveis exigências de sistema (mais comumente da versão do PHP).

O usuário pode facilitar as pesquisas por extensões em menus que indicam as mais avaliadas com notas (Most rated), as de melhores avaliações (Top rated), as escolhas dos editores (Editor’s pick), mais populares ( Popular Extensions), mais analisadas e comentadas pelos usuários (Most reviewed), mais marcadas como favoritas (most favoured).

As extensões podem ser pesquisadas de acordo com categorias relacionadas as suas finalidades.

Realizar um backup do site é importante para possível recuperação em caso de problemas. Uma das extensões populares é a extensão que realiza backups: Akeeba Backup.

Outra extensão popular é um editor para os artigos: JCE.

As extensões contribuem para que o Joomla possa ser empregado tanto para sites pessoais, blogs, bem como para portais com finalidades diversas. A quantidade de extensões gratuitas impressiona.

Testando o seu site – algumas dicas

Ao colocar um site online, o responsável pelo mesmo deve fazer teste com certa frequência, principalmente se o site for empregado para fins profissionais e tiver boa visitação.

Há diferentes formas de tese. Vejamos algumas dicas simples:

a) usabilidade – verifique com amigos e conhecidos se eles conseguem encontrar conteúdos no site, entender a navegação, usar ferramentas interativas ou de comunicação, por exemplo. Há muitas formas, mais e menos complexas, de verificar a usabilidade do site.

b) teste com diferentes resoluções de vídeos – o site deve ter boa visibilidade ao ser visitado por usuários com monitores de diferentes resoluções.  Algumas ferramentas de estatística de acesso, indicam as resoluções mais empregadas pelos visitantes do site. Deve-se evitar que o visitante precise rolar lateralmente. Logicamente, você não conseguirá agradar a todos os computadores. A resolução e o tamanho da tela não são a mesma coisa. Um netbook hoje usa resolução (lateral) maior a muitos monitores de 14 polegadas antigos.

Alguns exemplos de resolução: 800 x 600; 1024 x 800; 1280 x 800

c) teste em diferentes computadores – usar sistemas, navegadores e computadores diferentes pode ser útil para verificar possíveis problemas em sites, especialmente de design. Por exemplo, uma configuração diferente de navegador pode influenciar a navegação. Assim, sempre que possível visite seu site de computadores diferentes. Pedir que colegas avisem de problemas é uma dica bem simples. Você não precisa ter vários computadores, mas tentar que você, algum parente, amigo ou conhecido visite o site e relate possíveis problemas ou dificuldades.

d) teste em diferentes navegadores – o site deve ser testado em diferentes navegadores. Neste caso, a recomendação é priorizar os navegadores mais empregados. Atualmente eles são Internet Explorer, Firefox, Chrome e Opera. Logicamente, nem todos os visitantes usam a mesma versão do navegador, o que pode conduzir a problemas de compatibilidade com tecnologias mais recentes.

Depois retorno ao assunto.

Joomla 2.5 – Lançamento da nova versão se aproxima

A nova versão do Joomla está prevista para ser lançada na próxima semana, inicialmente no dia 24. Atualmente encontra-se disponível para teste a versão Joomla 2.5 Beta 2. A versão estável atual do Joomla é a 1.7. Certamente o pulo na forma de numeração confunde muitas pessoas. As atualizações entraram em ciclos diferentes de atualização.  A versão 1.7 só deve ter suporte até fevereiro. As atualizações da versão 1.5 terminam em abril.

O site do CMS indica que a atualização para o Joomla 2.5 será simples como foi do Joomla 1.6 para a 1.7, podendo ser realizada pelo backend da serviço gerenciador de conteúdos.

Temas para WordPress

O design do WordPress é formado por um modelo chamado tema (theme). Há uma enormidade de temas gratuitos disponíveis, possivelmente mais que para Joomla. Há também clubes de assinaturas de temas e empresas que vendem temas pela internet.

Em geral, o tema pode conter 2 ou 3 colunas, sendo uma delas para o conteúdo principal, os posts, e as outras para ferramentas e funcionalidades chamadas de widget. Vários widgets podem ser instalados nas barras laterias. Além disso, outra área muito empregada é o footer (rodapé). Teoricamente quanto mais posições para widgets um tema tiver, mais possibilidades de designs e conteúdos ele tem.

Uma grande quantidade de temas gratuitos podem ser pesquisados e instalados de dentro do própio WordPress, o que é bastante prático, especialmente para principiantes.