Tecnologia

Escolhendo um serviço de hospedagem de sites

Dando continuidade à questão da hospedagem de site, trato neste post de cuidados iniciais na escolha de serviços comerciais de hospedagem.

Escolher um serviço de hospedagem de site requer alguns cuidados. O usuário deve:

a) conhecer os recursos que ele precisa ou pode precisar num futuro breve

b) conhecer os serviços e características dos planos de hospedagem

c) saber os custos de serviços adicionais que não estejam incluidos no plano ou que exceda o limite do plano

d) buscar informações sobre a qualidade dos serviços das empresas comerciais, com atenção espacial ao suporte ao cliente.

Referências  e consultas a foruns e sites especializados podem auxiliar.  O preço não deve ser o maior atrativo.

Transferir um domínio não é uma tarefa tão simples e rápida. Há carências para a transferência de domínios. A necessidade de uso de serviços adicionais ou excedentes(espaço, franquia, banco de dados) por fazer com que o custo da hospedagem possa apresentar grande aumento.

Obviamente acidentes de percurso podem acontecer.  Um serviço pode ser excelente  e passar por momentos de adversidades. Assim como aparelhos eletrônicos e carros, sempre vai ter alguém descontente ou que reclama porque comprou a coisa errada, incompatível com as necessidades ou com os desejos.

Retornando ao ponto inicial, é preciso prever necessidades e características do site. Para alguém muito iniciante,  é bom ter uma ajuda.

Os serviços de hospedagem costumam explicar os recursos, as características e as capacidades oferecidas.

Não contrate um serviço no impulso ou apenas pelo preço baixo. Alguns detalhes são fundamentais.

Em vários posts, questões diversas serão abordadas.

Comentários com propagandas de serviçoes de hospedagem não serão aprovados.

Design e hospedagem de sites: Introdução

Muitas pessoas gostariam de ter seus sites pessoais ou profissionais ( especialmente professores, consultores e profissionais liberais). No entanto, muitas dúvidas dificultam a criação e a hospedagem de sites. Desconhecer certos princípios gera a equivocada “solenização” do site. Como resultado, o interessado no site desiste por considerar a criação do site algo muito complexo e caro, o que pode não ser verdade em muitos casos.

No caso da Educação, há muitos benefícios possíveis para que os professores tenham os seus sites. Nele, professores podem oferecer links, disponibilizar materiais didáticos, propor atividades, interagir com outros professores, entre muitas outras possibilidades.

Este fato fica evidente nos Portais desenvolvidos por instituições de ensino, especialmente universidades. Professores e alunos encontram “dentro” deles – não acessível e visível à maioria dos visitantes – formas diferentes de interação com o professor e com os conteúdos da disciplinas, em Educação a Distância e em educação presencial.

Inicio com este post algumas discussões sobre o desenvolvimento e a hospedagem de sites. O objetivo é posibiiltar que o usuário entenda melhor aspectos de hospedagem e o design de um site, o que consequentemente possibilitará melhor tomada de decisões.

A questão que assusta muitas vezes é o custo de desenvolvimento, hospedagem e manutenção.  Este custo pode ser menor ou, pelo menos, mais consciente, se o interessado em ter o site tiver alguns conhecimentos sobre as formas de sites e hospedagem.  Isto logicamente contribui para a tomada de decisão e para a verificação de custo.

Além disso, contratar serviços de hospedagem sem planejamento pode trazer dor de cabeça e custos desnecessários.

Algumas questões que serão abordadas em posts futuros são:

  • Registro de domínios
  • Design e desenvolvimento de site
  • Hospedagem
  • Linguagens de programação
  • Blog e CMS ( Content Management System – Sistemas de administração de conteúdos)
  • Serviços gratuitos

Os posts não seguirão uma ordem específica e não devem ser entendidos como capítulos.

Muitas questões abordadas serão dúvidas, curiosidade e perguntas de colegas que pretendem ter um site.

Dica: Apague seus arquivos com segurança

Muita gente não sabe, mas apagar um arquivo de um computador, cartões de memórias ou de um pen drive requer muitos cuidados. Inicialmente o arquivo tende a ficar armazenado na lixeira qundo ele é excluído.  Ao limpar a lixeira, o arquivo ” desaparece”, mas sua recuperação é razoavelmente simples com programas específicos.

Se o objetivo é evitar que um arquivo importante ou confidencial (pessoal, empresarial, ou institucional) possa ser indevidamente recuperado, o usuário deve empregar programas especiais que “trituram” os arquivos durante o apagamento. Na verdade, triturar é uma metáfora. Em geral , estes programas especiais de apagamento escrevem dados aleatórios onde antes estavam os dados do arquivo que foi apagado.

Especialistas indicam que até mesmo a formatação ( especialmente as breves) pode não “eliminar” os arquivos por completo, de forma segura.  Eu mesmo já recuperei fotos após uma formatação para um parente com o emprego de um programa de recuperação ( undelete softwares ou recovery softwares).

Um software gratuito para apagar arquivos com maior segurança é o Eraser, facilmente encontro em sites de downloads como Baixaki e o site da Infoexame. O programa promete elimitar os arquivos definitivamente com altíssimos níveis de segurança.

Cuidado ! Depois de usar o Eraser, seu arquivo não poderá ser recuperado ( pelo menos é o que se espera). Assim, esteja certo de que não precisará mais do arquivo.

Se for dar, vender ou doar dispositivos de armazenamento ( HD, pen drives, cartões de memória), tome muito cuidado para que seus arquivos não sejam recuperados. Antes de formatar, passe o Eraser ( ou programa similar) em tudo (arquivos existentes e espaços em branco) e depois efetue a formatação completa.

É importante ter muito cuidado no uso do programa. Tenha sempre cópias de segurança de seus arquivos importantes. Além disso, alguns sites de download sugerem a criação de um ponto de restauração no Windows antes da instalação de softwares.  Nos sites de download, observe também os comentários e as avaliações de usuários que usam o programa.

Moodle prepara versão 2.0 beta para teste

Está previsto para este mês de abril a liberação do Moodle 2.0 em versão beta, para testes. Este excelente Ambiente Virtual de Aprendizagem deverá ter a sua versão 2.o lançada em julho. Inicialmente a previsão de lançamento era para o segundo semestre do ano passado.

A versão beta, em geral, não é recomendada para os sites de uso real, uma vez que pode apresentar erros.

O site do Moodle (www.moodle.org ) não indica a pretensão de uma Release Candidate depois da versão beta. Assim, é possível que as funcionalidades da versão beta sejam idênticas à versão de lançamento.

Embora seja possível testar versão diárias de desenvolvimento do Moodle, é provável que o lançamento da versão beta gera bastante interesse em núcleos de Educação a Distância.  No entanto, é possível que a atualização do sistema em grandes instituições e sites educacionais ainda demore um pouco.

Convém mencionar que o Moodle é um ambiente de ensino de código aberto, sendo o seu uso gratuito sob licença GPL.

Ambiente Virtual de Aprendizagem

O que é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) ?

Ambiente Virtual de AprendizagemAVA é uma sigla que significa Ambiente Virtual de Aprendizagem, em geral uma adaptação do inglês Learning Management System (LMS) .

O Ambiente Virtual de Aprendizagem ou Sala de Aula Virtual é um ambiente baseado em internet ( também é possível em intranets) que funciona de forma semelhante a um Portal cujo objetivo básico é a Educação a Distância. Para entender melhor, vejamos  algumas características de um AVA:

  • O acesso ao “interior” AVA é feito por meio de login;
  • Pouco conteúdo fica disponível ou visível para usuários não cadastrados;
  • Há papeis com permissões diferentes para os usuários. Administrador, criador de curso, professo ou tutor, aluno e visitante são alguns exemplos;
  • Os cursos são separados em “salas virtuais” e o acesso é restrito por código, senha ou inscrição feita ou aprovada pelo responsável no curso;
  • As ferramentas e funcionalidades encontram-se voltadas primordialmente para a situação de ensino-aprendizagem;
  • Há formas variadas de comunicação e interação(atividades diversas, tarefas, chat, blog, forum etc);
  • O professo ou tutor pode acompanhar o desenvolvimento e a participação do aluno, alaborar e corrigir atividades, atribuir notas, estabelecer prazos para a realização de atividades, enviar mensagens, e muito mais.
  • Há exercícios de naturezas diversas, alguns similares à aprendizagem presencial

Outras denominações comuns são:  Learning Platform ( LP) e Learning Content Management System (LCMS).

O sistema, que requer linguagem dinâmica de programação web ( PHP, ASP, ASP.net, JSP, por exemplo) e banco de dados web ( MySQL, por exemplo), fica hospedado num servidor. Este servidor pode ser acessado por intranet ou, na maioria das vezes, por internet.

Alguns exemplos de Ambientes Virtuais de Aprendizagem são: Moodle, Teleduc e Blackboard.

A instalação de um AVA em um desktop ou laptop requer instalações prévias e não é uma tarefa tão simples quanto instalar programas do Windows.  No caso do Moodle, por exemplo, é preciso instalar um servidor web ( Apache), a linguagem de programação (PHP) e um banco de dados ( MySQL, em geral).  Depois de instalar este conjunto, é preciso criar e configurar um banco de dados. Só depois disso, a instalação do Moodle pode ser iniciada. Em termos objetivos, estes procedimentos amedrontam muita gente.

Arquivos em PDF: Criação e Edição

O PDF é sem dúvida um formato muito útil para documentos que devem ser enviados por e-mail ou disponibilizados em sites, blogs e ambientes virtuais de aprendizagem, especialmente quando o arquivo não precisa ou não deve ser modificado/editado pelo leitor.

Algumas considerações:

  • Arquivos em doc e docx podem ser visualizados de forma um pouco diferente, dependendo do sistema operacional e do programa usado para abrir o arquivo (Word ou outro editor de texto). Fontes não-seguras podem ser modificadas por outras. Margens podem sofrer alterações. Estes são apenas alguns exemplos.
  • O leitor, no caso de arquivo em doc, docx, txt, rtf, por exemplo,  pode acidentalmente apagar alguma parte do documento durante a leitura ou editá-lo ( o que pode não ser o propósito de quem disponiliza o arquivo).

Assim, uma medida mais segura é a “conversão” do documento em PDF. Há diversos sofwares leitores de PDF gratuitos, o que é uma verdadeira vantagem. Por ser um “formato universal”  (consulte post anterior), ele pode ser aberto em diferentes sistemas operacionais sem maiores dificuldades, evitando alteração visual.

Conforme mencionado em tópico anterior, o Office 2007 permite a criação de PDF por meio de um plugin. No entanto, há uma opção gratuita muito versátil: PDF995 – www.pdf995.com.

O programa funciona como uma impressora virtual que gera um arquivo em PDF a partir de uma diversidade muito grande de formatos. O arquivo original não é afetado.

O usuário solicita a impressão, como faz normalmente em qualquer situação, e escolhe a impressora virtual PDF 995 para a impressão. Com isso, ele cria uma versão em PDF do arquivo original. Muitas vezes o PDF é mais leve que o arquivo original.

Há ainda outros programas relacionados – todos gratuitos – que permitem, entre outras coisas, mesclar arquivos em PDF, proteger com criptografia, restringir o uso ( cópia, impressão, por exemplo). Em outras palavras, uma grande variedade de possibilidades sem custo. Em contrapartida, o programa apresenta algumas propagandas ao ser utilizado. Com um pequeno custo, o usuário pode ficar livre das propagandas.

Em resumo: o conjunto (a suite) de programas do PDF995  (confira em www.pdf995.com ) é muito poderoso.

Convém mencionar que o programa não cria nenhuma marca d’agua no PDF ou indicação de programa gratuito. A aparência é profissional.

Precisava mesclar 3 arquivos em docx  e não conseguia. O Word alterava as formatações. O PDF 995 solucionou o meu problema. Transformei cada arquivo em um PDF separadp e com uma ferramenta do conjunto fiz a mesclagem, gerando um arquivo único, sem alterar a aparência dos originais.

Arquivos – Formatos Universais para EaD, Sites e Portais

 A facilidade de abertura do arquivo e o tamanho do download  são aspectos que merecem cuidado, seja em EaD (Educação a Distância) ou arquivos disponibilizados em sites e Portais.  Neste post tratarei mais objetivamente do formato do arquivos.

 Vejamos o caso do docx. Muitos usuários não conseguem abrir o formato padrão do Word 2007. Convém mencionar que a culpa geralmente é atribuída erroneamente ao Windows Vista. Na verdade, o doc e o docx são abertos e editados no Word. Embora, como já mencionado, o docx seja um formato padrão da versão 2007 do Word, ele pode ser aberto no Word 2003, desde que seja instalado um pacote de compatibilidade (gratuito disponibilizado pela Microsoft).  Este é apenas um exemplo.

A abertura do docx por programa diferente do WORD 2007 pode apresentar algumas limitações de edição e visualização.

Uma forma de evitar problemas como o apontado acima é a opção por um “formato universal”. Entende-se por formato universal aquele que pode ser aberto ou executado por diferentes sistemas operacionais e softwares (incluindo softwares gratuitos).  Isto evita que o usuário alvo precise atualizar, instalar e, principalmente, comprar softwares.

Um exemplo famoso é o PDF. Em geral, transformo os documentos em PDF antes de disponibilizá-los para alunos. Há diversos softwares gratuitos para a leitura deste formato de arquivo.  Isto facilita a vida do leitor.

A versão 2007 do suite Office da Microsoft oferece um plugin para salvar arquivos em PDF. Há, no entanto, softwares gratuitos que permitem a criação de PDF , partindo de uma grande quantidade de formatos de arquivos. Em post futuro, tratarei disto.

Outro exemplo de formato universal é o MP3. É enorme a quantidade de sofwares e hardwares que conseguem executar este arquivo de áudio. 

Alguns exemplos de formatos universais:

  • Texto– PDF
  • Imagens e figuras –  GIF , JPG/JPEG
  • Vídeo – MPG2, AVI
  • Áudio– MP3 (pode ser executados por dispositivos diversos, inclusive alguns celulares e rádios de automóveis)
  • Animações e tutoriais – Flash

Em breve, posts sobre :

Arquivos PDF : geração e edição

Criando apresentações Power Point com maior segurança.

Segurança na internet: dicas de antivírus e firewall

Neste post inicio alguns comentários sobre segurança na internet, com algumas dicas de programas e abordo alguns erros de segurança comuns.

Lembro que sou um Linguista Aplicado e que os post sobre tecnologia e internet são comentários apenas, feitos por alguém que gosta de se informar e ler sobre estes temas.

Não deixe de ter em seu computador dois programas essenciais: o firewall e o antivírus. O firewall tenta evitar que outros computadores e programas entrem ou dominem o seu computador.  Uma sugestão de firewall é o COMODO. Ele pede autorização para tudo no seu computador. Embora possa ser um pouco chato, ele evita que programas façam mudanças indesejadas no seu computador. Além disso, ele “monitora” a entrada e saída de dados pela internet. Convém lembrar que, a partir do Windows XP Service Pack 2, o sistema Windows tem o seu próprio firewall. Se ficar inseguro para instalar e administrar outro firewall, não deixe a alternativa do Windows desativada.  É um importante nível de proteção para o computador. Mantenha-o sempre atualizado.

Antivírus bom é antivírus atualizado. Esta é uma questão central, muitas vezes ignorada. Sem atualizações constantes – muitas vezes diárias- o programa perde boa parte de sua capacidade de proteção. Alguns computadores trazem versões gratuita de avaliação ( em geral permitindo 30 ou 60 dias de atualização).  O problema é que depois disso ele continua instalado, mas perdendo gradualmente sua capacidade de identificar as pragas virtuais e, consequentemente, de proteger o seu computados. Duas excelentes opções gratuitas para usuários domésticos: AVG e AVAST.  Eu tenho uso o AVG. Em revistas e sites especializados, os dois costumam lutar pelo primeiro lugar entre as opções gratuitas.

Muitas pessoas consideram erroneamente que ter um antivírus caro ou de marca famosa é uma garantia de tranquilidade. Primeiramente, nenhum antivírus consegue identificar todas as pragas virtuais. Em segundo lugar, ele deve estar funcionando de forma residente ( automaticamente com o computador o tempo todo). Em terceiro….. precisa estar atualizado. Por fim, fazer varreduras periódiocas do computador todo. Estes procedimentos são básicos.

Logicamente práticas de navegação cuidadosa são importantes, mas manter estes dois tipos de programas em perfeito estado e atualizados é fundamental.

Sugiro pesquisas em sites especializados e revistas de informática. Verifique as avaliações dos usuários.  Dicas de Site: Baixaki – www.baixaki.com.br e Infoexame – www.infoexame.com.br

Go to Top