Linguagem

III Seminário de Formação de Professores

III Seminário de Formação de Professores

Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM – em Uberaba –

Dias 1.º e 2 de dezembro de 2011.

Os trabalhos serão aceitos na forma de comunicação oral e pôster e podem ser inscritos até o dia 20 de outubro.

Informações e inscrições em http://gpeform.uftm.edu.br/

Eixos temáticos:

Et1 – Didática, metodologias especiais e desenvolvimento profissional docente

Et2 – Formação de professores para a educação básica

Et3- Formação de professores para a educação superior

Et4 – Educação matemática e estatística

Et5 – História e historiografia da educação

Et6 – A formação docente, a identidade do professor e a educação inclusiva

Et7 – Formação de professores em língua estrangeira

Et8 – Ética na educação

Et9 – Abordagens e metodologias em ciências

Et10 – Ensino de língua portuguesa

Et11 – Ensino de biologia na contemporaneidade

Et12 – Pesquisas e projetos em ensino de química

Et13 – Política de educação, direitos sociais, cidadania e diversidade

Et14 – Tecnologias de informação e comunicação na educação

Et15 – Questões políticas, pedagógicas e didáticas em torno do ensino sobre as desigualdades e discriminações étnicas e sociais

Et 16 – Formação continuada de professores

Linguística aplicada e ensino de línguas

A Linguística Aplicada é bastante diversificada e rica em temas e metodologias. Sem dúvidas, um dos principais campos da linguística aplicada é o ensino de línguas. Considerando a sua história, é comum que a linguística aplicada seja visto por muitos como a área dos estudos linguísticos que aborda o ensino de línguas estrangeiras. As áreas “iniciais” da linguística aplicada foram ensino de línguas estrangeiras, principalmente da língua inglesa, ensino de língua materna e tradução. Por isto, é possível encontrar referência a mesma como uma “linguística educacional” ou “didática de ensino de línguas”.

É comum que cursos livres de idiomas busquem auxílio de linguistas aplicados para a formação e o treinamento de professores.

Algumas das áreas que cresceram na linguística aplicada nos últimos anos foram análise do discurso, pesquisas sobre identidades, estudos de gêneros, discurso e mídia, letramento… No entanto, o ensino de línguas continua representando a área de maior representação na LA.

Hoje, consequência da sua importância interdisciplinar, profissionais de diferentes áreas buscam especialização em linguística aplicada, não apenas professores de línguas e tradutores.

A linguística aplicada cresce diariamente. O último CBLA foi uma demonstração disso, com mais de 1000 participantes e aproximadamente 800 trabalhos apresentados em diferentes áreas.

Mudança linguística e variação linguística

No post anterior, comentei sobre variações linguísticas, um tema muito discutido hoje nas universidades. Um conceito que é muitas vezes confundido com as variações linguística é o de mudança linguística.

A mudança linguística está relacionada às evoluções de uma língua ao longo do tempo. Trata-se, portanto, de uma questão diacrônica. Por outro lado,  a variação linguística é de natureza sincrônica.

Sabemos que a língua é viva e que, consequentemente, ela muda através dos tempos. Em termos linguísticos, as mudanças não são consideradas aperfeiçoamentos de uma língua. As mudanças, assim como as variações linguísticas, podem ocorrer em diferentes planos (sintáticos, fonéticos, fonológicos, semânticos..).

Para a linguística, a língua de hoje não é melhor ou pior que a de ontem. A compreensão de que a língua se corrompe com o tempo é equivocada. O português só existe hoje porque o latim sofreu ua série de mudanças. Não é possível legislar sobre o uso de uma língua.

A mudança linguística ocorre de forma mais nítida e rápida na oralidade.

 

O que é variação linguística?

Embora as palavras variações e mudanças algumas vezes sejam usadas quase como sinônimos em alguns contextos, quando a questão é estudos linguísticos, as palavras são empregadas para conceitos diferentes. A variação linguística, muito estudada pela sociolinguística, refere-se a diferentes usos de uma língua, considerando, entre outras coisas, a idade do falante, o nível de formalidade, o grau de escolaridade, localização geográfica. Em termos gerais, o conceito concentra-se na diversidade de usos de uma língua, seja na modalidade escrita ou oral, de natureza sincrônica (em determinado momento temporal).  Reconhecemos com facilidade diferenças entre os usos entre o português falado no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Minas, por exemplo. É fácil também identificar diferenças em áreas profissionais ou acadêmicas específicas.

Na mídia, questões relativas à variação linguística exercem certo fascínio. Um exemplo disso foi a “polêmica” do livro didático que tratava de variações linguísticas.

Muitos linguistas estudam as variações linguistas, mas não elegem as variações como certas ou erradas. A questão central é a relação entra a linguagem, a cultura, o contexto e a situação comunicativa. A linguística não faz defesas prescritivas.

No campo da linguística aplicada, o foco muitas vezes não está na variação linguística em si, mas no uso da linguagem e na compreensão e tratamento delas em situações pedagógicas no ensino de línguas, sejam estas maternas ou estrangeiras.

Dividir o inglês em britãnico ou americano é uma simplificação feita muitas vezes para demonstrar diferenças de pronúncia. No entanto, a questão é bem mais complexa. Há outros contextos onde o inglês é lingua materna. Além disso,   a variação não está restrita a aspectos fonéticos e fonológicos. As variações podem, por exemplo, ser sintáticas, lexicais, morfológicas e semânticas…

AILA World Congress 2017 no Rio de Janeiro

A ALAB informou hoje por e-mail aos associados que o Congresso Internacional na AILA (AILA World Congress) em 2017 acontecerá no Rio de Janeiro. AILA é a sigla para  Association Internationale de Linguistique Appliquée ( Associação Internacional de Linguística Aplicada).  O evento ocorre de três em três anos e nunca aconteceu na América Latina.

A candidatura obteve êxito. O Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada (CBLA), que aconteceu em julho, serviu de grande demonstração da capacidade de organização de eventos de grande porte.

Parabéns a ALAB por mais esta conquista, que servirá para fortalecer a Linguística Aplicada no Brasil, a visibilidade dos pesquisadores nacionais e o espaço de participação de linguistas aplicados em diferentes contextos.

O vídeo da candidatura pode ser visto no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=kZNo66pJK7g

Copa do Mundo em 2014, Olimpíadas em 2016 e Congresso Internacional da AILA em 2017 !

 

 

 

Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada – CBLA 2011: Parabéns para a ALAB

A ALAB está de parabéns pela organização do CBLA 2011 !

Nos últimos dias, a comunidade da linguística aplicada pode participar de um congresso que, sem dúvidas, deixará saudades e ótimas lembranças. Fica um desejo de “quero mais”.

Além de uma grande organização, a qualidade dos trabalhos merece destaque. A diversidade de temas também é outro aspecto que merece ser elogiado. Considerando a grande abrangência da linguística aplicada, é  possível considerar que o congresso possibilitou rico espaço de interação entre estudiosos de vários temas.

Mestrado em Letras e Ciências Humanas: processo seletivo

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo para o Mestrado em Letras e Ciências Humanas na UNIGRANRIO.

Área De Concentração: Discurso, Cultura e Formação Humana

Linhas de Pesquisa:

  • Gênero, Etnia e Identidade
  • Educação, Linguagem e Cultura
  • Representaçaõ da Historicidade, Memória e Discurso

Informações detalhadas podem ser encontradas no site do Programa:

www.unigranrio.br/pos_letras-ciencias-humanas/

Enelin 2011 – Encontro de Estudos da Linguagem

IV Encontro de Estudos da Linguagem

III Encontro Internacional de Estudos da Linguagem

Tema: “O discurso e as línguas”,

15 a 17 de setembro de 2011

Pouso Alegre – MG

Informações: http://www.cienciasdalinguagem.net/enelin/

Go to Top