Linguagem

Certificados em Inglês como Língua Estrangeira: Siglas

Há diversos certificados de fluência em língua inglesa. Estudantes de inglês podem se deparar com um número grande de siglas que se referem às certificações internaciois. Estes certificados são de níveis e para objetivos variados. Eles são muitas vezes empregados como forma de comprovação de nível de proficiência em língua inglesa, conhecimentos pedagógicos, domínio de habilidades em inglês para fins específicos. Um dos exames mais famosos é o TOEFL. Algumas siglas de exames de certificação:

 

CAE– Certificate of Advanced English

CELTA– Certificate in Teaching English to Speakers of Other Languages

CPE – Certificate of Proficiency in English

DELTA – Diploma in Teaching English to Speakers of Other Languages

ECCE – Examination for the Certificate of Competency in English

ECPE – Examination for the Certificate of Proficiency in English

FCE– First Certificate in English

ICFE – International Certificate in Financial English

IELTS – International English Language Testing System

KET– Key English Test

MELAB – Michigan English Language Assessment Battery

MET – Michigan English Test

PET – Preliminary English Test

TKT– Teaching Knowledge Test

TOEFL-Test of English as a Foreign Language

 

Introdução à Linguística Textual: sugestões bibliográficas

A linguística textual é uma área de estudos linguísticos que encontra-se em grande destaque, sendo possível encontrar uma grande diversidade de publicações na área.

Algumas sugestões:

ADAM, J. M. A linguística textual: introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Editora Cortez, 2011.

FÁVERO, L. L. & KOCH, I. G. V. Linguística textual: introdução. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

KOCH, I. G. V. A inter-ação pela linguagem. 10 ed. São Paulo: Contexto, 2007.

KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. 9 ed. São Paulo: Contexto, 2008

KOCH, I. G. V. Introdução à linguística textual: trajetoria e grandes temas. 2 ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

SIGNORINI, I. (org). [re]discutir texto, gênero e discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

Linguística e estudos da linguagem: dicionários

Podemos encontrar no mercado brasileiro algumas boas opções de dicionários de linguística e estudos da linguagem, que podem ser úteis para linguístas, pedagogos, fonoaudiólogos, entre outros profissionais:

Três classicos:

CAMARA JUNIOR, J. M. Dicionário de Lingüística e Gramática. Petrópolis, Vozes, 2001.

DUBOIS, J et alii. Dicionário de Lingüística. São Paulo: Cultrix, 2001.

DUCROT, O e  TODOROV, T. Dicionário Enciclopédico das Ciências da Linguagem. 3ª Ed. Editora Perspectiva, 2001.

 

Outras sugestões:

TRASK, R. L. Dicionário de Linguagem e Linguística. São Paulo: Contexto, 2004.

CHARAUDEAU, P. e MAINGUENEAU, D. Dicionário de Análise do Discurso. 2 Ed. 3ª Impressão. São Paulo: Contexto, 2008.

AQUINO, R. Dicionário de Gramática. Rio de Janeiro: Elsevier/Campus, 2008.

Vocabulário acadêmico em monografias e artigos

Escrever um texto acadêmico geralmente não é uma tarefa simples para quem está iniciando. Isto fica bastante visível na elaboração de monografias e artigos de.  conclusão de cursos. Há uma dificuldade de compreensão dos gêneros textuais acadêmicos e seus objetivos. Além da dificuldade de definição de um tema para a monografia, os estudantes também se deparam muitas vezes com outro aspecto desafiador: a redação acadêmica do texto.

Uma dica bastante útil é a leitura de artigos na área do trabalho. Isto ajuda a compreender como os trabalhos são organizados e escritos. Os estudantes podem circular ou sublinhar as expressões, o vocabulário e as construções empregadas por autores experientes.

É necessário reconhecer que há questões de estilos que fazem com que as formas e preferências de produção textual sejam diferentes. Além disso, há a famosa discussão entre o uso ou não da primeira pessoa em trabalhos acadêmicos (isto será tema de outro post).

Vejamos alguns verbos úteis para trabalhos acadêmicos:

apontar / discutir / abordar / tratar / enfatizar / relatar / analisar / visar / pretender / enfocar / comparar / contrastar / explicar / exemplificar / restringir / criticar / estabelecer /  ressaltar / destacar / compreender / fundamentar / viabilizar / possibilitar / sustentar / pesquisar / comentar / diagnosticar / avaliar / quantificar / organizar / questionar / investigar / verificar /

Até logo !

VII Semana de Letras da UNIGRANRIO

VII Semana de Letras de UNIGRANRIO

A Semana de Letras é parte do evento Memória, Linguagens e Ensino, da Escola de Educação, Ciências, Letras, Artes e Humanidades.

7 – 11 de novembro de 2011.

Local : Duque de Caxias – CAMPUS 1

A Semana contará com minicursos, oficinas, palestra e comunicações sobre literaturas, lingua portuguesa, linguística aplicada, lingua inglesa e mais.

A programação estará disponível em breve.  Informações: www.unigranrio.br (No link Eventos)

Linguística Aplicada no YouTube – Canal da ALAB

A Associação de Linguística Aplicada do Brasil tem agora um canal no YouTube (http://www.youtube.com/alabbrasil. Nele, o visitante poderá encontrar vídeos do Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada, realizado no mês de julho na UFRJ. Provavelmente novos vídeos serão continuamente disponibilizados.

Os interessados em Linguística Aplicada devem visitar o canal.

Que é inglês instrumental?

O inglês instrumental é uma abordagem de ensino de língua inglesa que, na maioria das vezes, se refere ao ensino de inglês para leitura. É comum encontrar disciplina com esta denominação em diferentes cursos superiores, especialmente naqueles nas áreas de tecnologia e negócios.  Isto se deve à importância da leitura em língua inglesa para fins acadêmicos ou profissionais.

Para o aluno que precisa fazer prova de leitura para um concurso de emprego e para pós-graduação, especialmente mestreado e doutorado, pode não ser interessante ou objetivo entrar em um curso longo de inglês. A abordagem instrumental é mais indicada por ser mais focada em necessidadades dos estudantes.

O ensino privelegia o desenvolvimento de estratégias de leitura para a compreensão de textos nas áreas de atuação ou estudo dos alunos. A leitura de textos aqui não deve ser confundida com a tradução.

A relação de próximidade entre o estudo e as necessidades dos estudantes geralmente acarreta em maior motivação para a aprendizagem. O estudante consegue bons resultados em pouco tempo.

A minha experiência com inglês instrumental inclui as áreas de informática, petróleo,meio ambiente e física.

Monografias e artigos: atenção ao foco do trabalho

Estudantes costumam ter dificuldades com monografias. Por ser um tema abordado aqui com certa frequência, é comum que visitantes cheguem ao Ensino Atual procurando questões relativas à elaboração e formatação de monografias.

Um dos problemas na elaboração de monografias está na manutenção do foco das discussões e das pesquisas. Os estudantes devem sempre ter o foco em mente. Em termos bem práticos, eles podem escrever este foco do tema em lugar bem visível.  Descuidos, principalmente de iniciantes, podem fazer com que o foco seja perdido ou que ele fique sendo abandonado e retomado diversas vezes ao longo do trabalho.

A divisão da monografia ou de artigos em seções deve ser feito com muita cautela e deve ser constantemente reexaminados. A leitura do trabalho ao longo da sua elaboração e na sua fase final por outras pessoas pode ser interessante. Neste caso, um colega de turma pode ser uma alternativa. O colega, atuando como leitor, poderá verificar se há idas e vindas em discussões.

Outra estratégia é a leitura com marcação ou identificação de tópico frasal. Os próprios autores dos trabalhos podem reler seu trabalho (várias vezes) com bastante calma e escrever ao lado dos parágrafos qual foi o tópico do parágrafo. Isto poderá contribuir para que repetições ou intercalações demasiadas sejam identificadas.  Imagine, por exemplo, que definições de um conceito chave apareça várias vezes ao longo do trabalho. Isto poderá gerar confusões ou perda de foco. O texto tende a ficar cansativo e redundante.

Um tema hoje muito popular em Letras é preconceito linguístico. Neste tema, é comum apresentar definições de variantes linguísticas. Eu não devo ficar oscilando as discussões entre conceitos de gramática, definição de linguística, ensino de leitura, por exemplo. Estas questões podem ser pertinentes, desde que devidamente planejadas e fundamentadas.

Em síntese, sempre verifique se o foco do trabalho está claro e se ele não está sendo perdido.

Go to Top